Cruzeiro vai começar Série B com seis pontos a menos

A decisão é definitiva e não é passível de recurso

Divulgação Cruzeiro


Clube não pagou pelo empréstimo do volante Denilson e foi punido pela fifa

O desafio do Cruzeiro de voltar à Série A do Campeonato Brasileiro em 2020 ganhou um novo complicador nesta terça-feira, quando a Fifa comunicou ao clube mineiro a punição por causa da dívida de R$ 5 milhões da Raposa com o Al Wahda, pelo empréstimo do volante Denilson. Como o clube celeste não pagou a dívida nesta segunda-feira, prazo estipulado pela Fifa, a punição será a perda de seis pontos no Brasileirão. A decisão é definitiva e não é passível de recurso.

Pelas informações divulgadas pela Rádio Itatiaia, o Cruzeiro tentou negociar com o clube dos Emirados Árabes, que negou as tratativas. A partir de agora a Raposa tem novo prazo para quitar a dívida, se não o fizer, poderá ser punido novamente pela entidade máxima do futebol.

A equipe árabe teria se negado a negociar com o clube agora, pois, nos quatro anos em que o processo corre na Fifa, ninguém do Cruzeiro teria se apresentado para realizar a negociação. Por esse motivo os árabes decidiram não flexibilizar a situação para o time brasileiro.

Denilson

O volante Denilson chegou ao Cruzeiro em 2016, emprestado junto ao time árabe pelo valor de 850 mil euros, cerca de R$ 5 milhões. O jogador chegou ao clube para se recuperar de uma lesão, ficou por apenas seis meses e disputou cinco jogos; apenas dois como titular. Na negociação, o Al Wahda pagou os salários do atleta enquanto ele estava no Brasil. Porém, a Raposa não pagou o valor total do acordo e começou a discutir a ação na Fifa.

Clube pode perder mais pontos

Além de perder seis pontos como punição na Série B por essa dívida, outra pendência financeira pode prejudicar ainda mais o Cruzeiro dentro de campo. Isso porque o clube ainda não quitou a dívida de cerca de R$ 10 milhões com o Zorya Luhansk, da Ucrânia. O valor é referente à compra de Willian Bigode, em 2013.

O Cruzeiro tem até o fim do mês para resolver essa pendência. Caso contrário, pode ser punido novamente pela Fifa com perda de mais pontos no campeonato nacional.

O presidente do Núcleo Dirigente Transitório do clube, Saulo Fróes, já disse que não há condições financeiras para quitar a dívida. “E a gente tentou arrumar dinheiro [...], mas são valores que chegam a quase R$ 6 milhões, e temos uma dívida no final do mês de mais de R$ 10 milhões do Willian Bigode, que o outro presidente vai ter que resolver, porque será após a eleição. Não conseguimos levantar o dinheiro de forma nenhuma pelo problema de credibilidade, o problema das eleições”, disse Fróes, deixando claro que esse problema será dos novos mandatários do clube, que serão eleitos nesta quinta-feira (21).



Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO