Morre mulher atropelada na avenida Pedro Linhares, em Ipatinga

Vítima estava internada em um hospital havia 11 dias e não resistiu aos ferimentos graves


Patrícia Pereira era funcionária do supermercado Coelho Diniz

Morreu no começo dessa semana, no Hospital Metropolitano Unimed, Patrícia Pereira dos Santos, de 30 anos. No último dia 7 de maio, Patrícia foi atropelada na avenida Pedro Linhares Gomes (trecho urbano da BR-381), na altura do bairro Novo Cruzeiro, em Ipatinga, nas proximidades de um radar desativado. Ela foi socorrida com vida gravemente ferida depois de ser atingida pelo VW Gol dirigido por Oziel Carlos da Silva, de 42 anos.

Ele contou para a Polícia Militar Rodoviária que trafegava pela rodovia e notou que Patrícia entrou de repente na rodovia para atravessar a via. Ela estaria falando ao celular, sem observar o fluxo de veículos, como alegou o motorista. Oziel disse que fez uma manobra com o carro para evitar o atropelamento, sem sucesso.

Uma equipe do Samu, acionada pelo motorista do carro, socorreu a mulher que apresentava ferimentos pelo corpo e suspeita de traumatismo craniano. Ela foi encaminhada ao Hospital Unimed, em Coronel Fabriciano. Apesar dos esforços dos médicos e equipes, Patrícia não resistiu e morreu nesta segunda-feira (18). A vítima era funcionária do supermercado Coelho Diniz.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Eduardo Bananinha 23 de maio, 2020 | 07:12
Que triste ,mais uma vida se foi,e isso é muito triste,mais agora ela está em lugar melhor que está terra sem leis.Que Deus conforte a família, Deus está com você Natália, força,eu sei que não é fácil ,mais confie em Deus pois ele fez o melhor pela sua irmã.

Já passou da hora de uma passarela ser construída no local,ou um semáforo ser instalado,moradores e trabalhadores da região tem que cobrar as autoridades competentes para tomarem providências sobre isso,não vamos esperar mais mortes acontecer.
Marcos Guimarães 23 de maio, 2020 | 03:15
Todos os Leitores estão certos sob sua ótica, perdemos uma grande Amiga destas que nascem e florescem uma unica vez na vida.
O conceito "Direção Defensiva" não existe entre os Condutores que trafegam principalmente em Ipatinga. As desculpas esfarrapadas se acumulam e a culpa é sempre é do pedestre ou do ciclista, como se carros nunca invadissem a ciclovia ou o passeio.
Fato é que no Vale do Aço não existe uma Fiscalização da Legislação de transito, e carteira de habilitação não é sinônimo de habilidade para dirigir. Já perdemos dentro de um ano mais de uma dezena de vidas entre ciclistas e pedestres e a desculpa é sempre a mesma.
No dia em que Crime de trânsito der cadeia com pena a ser cumprida imediatamente, as coisas começam a mudar.
Meus Pêsames Amigos, ela se foi cedo demais!
Precisamos cobrar mudanças e direcionar melhor nossas energias.
Geraldo Magela Ribeiro 22 de maio, 2020 | 08:07
um condutor que tem a visao tão limitada do seu entorno, não pode ter permissao para dirigir, matam por que querem, se atropelou, é porque ela fazia parte do entorno do condutor, o seu entorno não se limita as faixas de transito, mas infelizmente, estamos no brasil, a sociedade de menor conhecimento na face da terra.
Natália Pereira dos Santos 21 de maio, 2020 | 13:49
Raquel,Lourenço,Francis,Udeiberson e Cleuzenir,obrigada por solidarizarem.

Uma parte de mim se foi junto da minha irmã.
Ela era minha amiga de TODAS as horas e hoje não a tenho mais.
O meu conforto é Deus.
Infelizmente NADA trata de volta à vida da minha irmã.

Se você ver essa mensagem sr.Oziel,eu espero que você esteja certo da sua versão e que a paz te acompanhe.Nao lhe desejo mal algum
Cleuzeni Torres 21 de maio, 2020 | 07:25
Eu não estava lá, não vi esse acidente. Mas o que eu estou cansada de ver é que os motoristas, seja de carro pequeno ou grande, ou mesmo os motoqueiros, nunca, mas nunca mesmo, reduzem quando veem que uma pessoa atravessou na frente. Mesmo que seja distante, tem que colocar o pé no freio. Isso é DIREÇÃO PREVENTIVA. Depois de um acidente como esse, tenham certeza, vocês não conseguirão mais dormir sossegados. Podem até jogar a culpa na vítima, mas a consciência, por mais canalhas que sejam, vai pesar na hora de colocar a cabeça no travesseiro.
Francis 20 de maio, 2020 | 21:09
Sou morador do Novo Cruzeiro, já passou da hora de fazer uma passarela nesse local, pois há muita travessia de pedestre sentido só Ipatingão e Parque Ipanema, depois que desativou o radar dificultou ainda mais a travessia devido a velocidade dos veículos. Infelizmente mais uma vida ceifada, Deus conforte o coração dos familiares.
Rqauel 20 de maio, 2020 | 12:04
Natália meus sentimentos! Posso só imaginar a sua dor... Não tem justificativa para uma tragédia enorme assim. Deus conforte todos vcs da família e amigos... Deve ser uma orrivel. Que triste, nos motoristas temos que ter mais calma no tráfego Pq a velocidade mata mais que a fome no mundo inteiro!
Lourenço 20 de maio, 2020 | 11:14
Muito triste so quem e da família que sente a dor, uns fala uma coisa outros fala outra, mas só quem tem o sangue correndo nas veias sabe a dor que é. Que o espírito santo de Deus conforte toda família.
Rogerio 20 de maio, 2020 | 10:53
Eu cheguei logo após o acidente liguei para o Samu que até demorou um pouco a chegar, o celular dela estava uns quatro metros longe dela se ele não quebrou eu não sei, umas pessoas pegaram ele q eu vi e tentaram entra contato com Algum conhecido dela conheço motorista sei que ele não estava correndo a pista tava molhada e ela estava com uma sombrinha também que estava junto ao corpo, eu vi comentários aí q o motorista estava embriagado isso mentira pq ele estava saindo do trabalho ele trabalha na Usiminas numa empresa de transporte
Frañ Furtado 20 de maio, 2020 | 09:19
Os radares nas rodovias federais pertencem ao DNIT é nas estaduais é o DER, portanto a 381 quem desligou foi o DNIT.
Jose Alves Pinheiro 20 de maio, 2020 | 08:01
Ótima explicação Ane Caroline.
Udeiberson Vitor Alcântara 20 de maio, 2020 | 07:38
Infelizmente estamos vivendo tempos difíceis ,onde à Humanidade se preocupa mais em Ser em situações como essas onde veio à Vitimar está trabalhadora( minha prima), Ser o Juiz, o Promotor e os Jurados para Condenar as Pessoas que de Vítimas passam á Ser Ré.
Devemos Procurar à Ser Mais Humanos e analisarmos os Fatos com mais Amor e Sabedoria. Do que serem Hipócritas e Desumanos para quererem apontar Culpados, sem obterem informações Verdadeiras e Concretas dos Fatos. Antes de quererem Condenar alguém que nem muitas estão fazendo pondo à Culpa na Vítima. Procurem à se informar. E reflitam que poderiam Ser Vocês hoje Chorando à Perda de um Ente Querido.
Arnóbio 19 de maio, 2020 | 23:45
De realmente ela estava ao celular nem radar à salvaria do atropelamento. Que sirva de exemplo não só pedestres, mas ciclistas, motociclistas e motoristas que insistem em guiar seus veículos usando o celular, nem parece que é contra a lei, de tanto flagrantes que vemos por nossas cidades.
M.t Samux 19 de maio, 2020 | 22:57
Sem duvida devagar ele não estava... msm que fosse na velocidade máxima permitida na via daria tempo de uma manobra evasiva ... então correndo ele estava aproveitando falta do radar.
Natália Pereira dos Santos 19 de maio, 2020 | 22:56
Essa é minha irmã.
Uma linda moça que hoje já está nos braços do Nosso Criador.
Meu coração chora pela perda tão surpresa da minha irmã.
Brasil deveria ter leis que amparassem mais os pedestres pra não acontecer casos como esse em que há vítima e o mesmo sempre sai como culpado e o condutor sempre tem um álibi que ,na maioria das vezes não é investigado pra vê se procede ou não a sua versão.
Infelizmente,NADA trará a vida da minha irmã de volta,mas conhecendo bem a minha irmã sei que ela jamais atravessaria uma via sem olhar o fluxo de veículos.Esse era um lugar em que minha irmã passava todos os dias pra ir e voltar do serviço e tenho certeza que ela não estava desatenta nem nem pouco usando o celular no momento do acidente,pois o mesmo está intacto sem nem sequer arranhões como relatam minha família e familiares do Brasil.
E quanto ao motorista?
Será avaliado se ele não estava em alta velocidade?
Será avaliado se não era ele que usava o celular na hora do acidente?
Será avaliado se ele não estava embriagado?
???
Seja quem for você,não te quero preso pois sua família deve precisar de você e NADA do que te acontecer trará a vida da minha irmã de volta,mas minha indignação é de você não ter prestado socorro á ela.Minha irmã era HUMANA,cara!
Uma pessoa cheia de vida,sorridente,vaidosa,cheia de sonhos,cheia de planos,trabalhadora,cheia de boas intenções,tinha o coração puro e cheia do Espírito Santo.
Você simplesmente deixou ela jogada ao chão.E se fosse altas horas e ninguém tivesse visto???
Ela simplesmente morreria no local sem nem sequer ter direito aos recursos da medicina pra tentar viver novamente!

Infelizmente ela se foi!
Ane Caroline 19 de maio, 2020 | 22:54
Pedro. Em frente a Oi, antiga Telemig é avenida Cláudio Moura, BR 458. O Atropelamento foi na Pedro Linhares, br381 e quem desativou o radar na travessia para o Novo Cruzeiro onde teve o acidente foi o Bolsonaro.
Pedro 19 de maio, 2020 | 22:18
Com a desativação desse radar próximo à TELEMIG pelo QUINTÃO EM 2004 para ganhar a eleição muitas vidas se foram nesse trecho.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO