Polícia apreende 12 quilos de maconha em Timóteo

Ação policial começou dias atrás, com outras prisões, e culminou na apreensão das barras da droga no sábado

Divulgação PM


Drogas e faca estavam em um tambor

Um extenso boletim de ocorrência narra como começou a perseguição a traficantes, flagrados e presos pela Polícia Militar nos últimos dias. A última movimentação foi a localização de um depósito de barras de maconha, na Fazenda Boa Vista, em Timóteo, no fim da tarde deste sábado (16). O cão Zairon farejou e encontrou um tambor enterrado, onde havia uma faca, materiais para embalagem, 16 barras e quatro frações menores de substância da droga totalizando mais de 12 quilos.

As ações que levaram a apreensão da droga começaram no último dia 20 de abril. Uma denúncia chegou para a PM indicando que uma mulher, moradora da rua Parque do Rio Doce, no bairro Macuco, vendia pedra de crack, cocaína e maconha, e que as drogas ficavam escondidas em sua casa. A partir desta data foi iniciada a campana, visando verificar a procedência da denúncia. Além dessa, outras sete chegaram via telefone 181 (Disque Denúncia Unificado).

Durante os trabalhos dos policiais foi verificado que ocupantes de duas motocicletas sempre faziam contato no local, um utilizada uma CG Honda Titan de cor cinza e outro uma Yamaha YBR 125, preta. No dia 4 de maio, após observar movimentação no endereço, uma equipe da PM se aproximou da residência e chamou pela moradora. Ela demorou em atender, mas ao abrir o portão e ao ser questionada sobre a denúncia, disse que não ter nada de errado e permitiu a verificação.

Os militares localizaram um pote de achocolatado em cima do armário, conforme informado pela denúncia. O recipiente estava com forte odor de drogas, contudo não havia nada no pote, apenas vestígios. Novamente questionada, a mulher disse que seria usuária. Enquanto a equipe estava na casa, W.L.S, de 41 anos, chegou ao local em uma das motos citadas.

A situação causou mais estranheza nos policiais, pois ele disse que chegou por acaso e que não sabia de nada, afirmando que teria um filho com a mulher alvo da denúncia. Outras informações denunciavam que W. seria o dono da “boca de fumo” no Macuco. Após este episódio, as equipes da PM passaram a monitorar a casa dele na rua Ouro Branco, na fazenda Boa Vista, e observaram as duas motos na garagem da residência, veículos usados no transporte da droga para serem vendidas no Macuco.

No dia 10 de maio, após denúncia de que o tráfico estaria intenso na casa da mulher, no Macuco, os policiais realizaram a prisão de uma jovem no local, L.S.A, de 18 anos. Ela estava em companhia do namorado H.Y.C.S., de 21 anos, que tinha sido preso recentemente por um assalto em um posto de combustíveis. Na bolsa de L.S. foram encontradas duas porções de droga. A equipe deslocou até a casa de L.S., onde a mãe dele levou os policiais ao quarto da filha. No local encontradas, uma balança de precisão e mais porções de drogas. A mulher foi presa e autuada na época.

A equipe continuou a monitorar a casa no bairro Macuco, onde o homem em uma das motocicletas fazia constantes contatos. No sábado (16), por volta de 12h, um traficante conhecido no meio policial, R.M.A.P, de 30 anos, esteve no bairro e foi visto pelos policiais no alto do morro, em frente à casa de W.L. O segundo suspeito chegou ao local em uma caminhonete VW Amarock, de cor branca. Ele também manteve contato na casa da jovem de 21 anos. Policiais perceberam que R.M. deixou algo em dois locais e saiu rapidamente.

Trio visto pela PM no matagal

Mais tarde, os policiais viram três pessoas em meio ao matagal, nos fundos da casa de W.L., subiram uma trilha para a parte alta da mata e lá permaneceram por 55 minutos. A equipe se postou ao lado da trilha e quando os suspeitos retornavam, foi observado que W.L. estava com um facão na mão junto com a jovem de 21 anos, que transportava um saco preto e o namorado dela, H.Y. segurava um revólver.

Os policiais se identificaram para uma abordagem, mas o trio saiu em fuga descendo a mata. H.Y. ainda disparou um tiro. Em virtude deste disparo, policiais efetuaram três tiros para se defenderem. W.L. soltou o facão e arremessou um objeto para o lado da trilha, já H.Y. continuou com arma e sumiu em meio à mata. A jovem L.O. arremessou a sacola preta com um objeto e também conseguiu fugir.

Já W.L. foi seguido pelos policiais pela trilha que terminava nos fundos da casa do suspeito. Ele foi cercado na porta da residência. Ele tentou resistir à prisão e teve que ser contido à força.

Os parentes do abordado chegaram ao local e passaram a intervir na ação policial numa tentativa de evitar sua prisão. Os familiares também foram presos por desacatado, uma mulher chegou ainda a bater a cabeça no cofre da viatura no momento da contenção e precisou ser levada para a UPA para ser medicada, antes de ser levada para a Delegacia de Polícia Civil.

Os policiais militares percorreram o caminho por onde o trio tinha fugido e localizaram, o facão, uma barra fracionada de maconha e uma balança de precisão dentro da sacola preta lançada longe pela jovem. Também foi acionado a equipe da Rondas Ostensivas com Cães Adestrados (Rocca) do 14 BPM, para que a área fosse vasculhada.

Divulgação PM


Materiais foram apreendidos após operação da Polícia

Barras de maconha e arma

Com o apoio do cão farejador Zairon, toda a área foi verificada pelo animal e foi localizado no meio da mata um tambor enterrado, exatamente no mesmo local que a equipe da PM visualizou os indivíduos. Ao ser retirada a tampa, em seu interior havia: uma faca, materiais para embalagem, 16 barras e quatro frações menores de maconha, totalizando mais de 12 quilos. O material foi apreendido.

Ao ser questionado, W.L. disse que apenas estava andando pela mata procurando bananas verdes e taioba a pedido de seu filho, que foi “coincidência encontrar com os outros dois amigos” naquele local.

Apesar da alegação dele, os militares observaram não ter nenhuma das plantas alegadas por ele, somente próximo do quintal da casa, na parte baixa. Perguntado quem seriam os outros dois avistados em sua companhia, o preso preferiu não relatar. Foram feitas diligências no sentido de localizar três pessoas vistas com o suspeito no dia anterior, mas nenhuma foi localizada. Com isso, W.L. foi encaminhado para a delegacia de Polícia Civil com o material apreendido.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

MAIS FOTOS

Comentários

Anonimo 18 de maio, 2020 | 19:26
Da prox vez que for enterrar tem que colocar manteiga na tampa do barril pra disfarçar o cheiro passa bastante manteiga por fora na tampa e terra por cima kkkkk duvido que o viralata fareja
Olho de Aguia 18 de maio, 2020 | 07:53
Bandido buro e cabeça fraca porque não entocou tudo dentro da lata de sardinha kkkk io M.M Cada fez tá perdendo mais e mais
Curto e Franco 17 de maio, 2020 | 17:52
Banana verde e taioba ? , sera que combina misturar na maconha ? , kkkkkkkkk e cada uma que esses traficantes inventao .
Ronaldo Fofo 17 de maio, 2020 | 17:09
A cadela eva se foi mais sua história na selou seu legado seu filho está fasendo do jeito que mamãe ensinou

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO