Assistência Social alerta sobre os casos de abuso e violência sexual

O dia 18 de maio foi instituído como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos no território brasileiro. Neste ano, principalmente pelo distanciamento social ocasionado pela pandemia do coronavírus, a Secretaria de Assistência Social de Ipatinga reforça a extrema importância das denúncias para que os casos não fiquem ocultos.

A necessidade do confinamento devido à covid-19 mudou a rotina de crianças e famílias. As aulas presenciais foram suspensas em toda rede pública e particular de ensino, dificultando o trabalho dos sistemas de apoio nos casos de violência contra crianças e adolescentes. A situação pode favorecer um aumento nos casos de violência infanto-juvenil.

“Nós temos um apoio importante da rede educacional, que são grandes parceiros nessas denúncias. Professores que estão no dia a dia com os alunos percebem a mudança de comportamento e estes profissionais nos reportam aos casos suspeitos para apuração da denuncia pelo conselho tutelar e posterior encaminhamento ao CREAS, órgão responsável por acompanhar estes casos”, disse Thiago Inácio, diretor de departamento de Proteção Social Especial.

Números

Um dado atual, que deveria ser motivo para comemoração, traz uma preocupação especial para o município. É que o número de ocorrência de crimes sexuais contra menores reduziu drasticamente este ano. De acordo com o Conselho Tutelar da cidade, de janeiro a abril de 2019 foram registrados 41 casos de abuso ou violência sexual contra crianças e adolescentes. No mesmo período de 2020, foram apenas 10 casos levados para o órgão que tem como principal objetivo zelar pela proteção e direitos dos menores. Segundo relatório da Polícia Civil, Ipatinga ocupa o 10° lugar entre os municípios com maior número de vítimas de abuso e violência sexual no Estado.

Para Cláudia Castro, o número reduzido de casos reflete um cenário um tanto preocupante: o silêncio. “Percebemos não só em Ipatinga, mas em Minas Gerais, que houve uma queda no número de abusos e violência sexual contra criança e adolescente, e isso pode estar relacionado à dificuldade de pedir ajuda neste momento de distanciamento social. Lembramos que essa criança está dentro de seu ambiente familiar, e nós sabemos que o principal abusador é alguém do seio familiar”.

O prefeito Nardyello Rocha lembra que o silêncio não pode ser justificado pelo isolamento social e alerta que quem suspeita de algo e opta pela omissão é conivente com o crime. “Há várias formas de denunciar, podendo ser inclusive anonimamente. Pedimos que neste momento a população seja nossos olhos, porque as crianças estão dentro de casa e essa queda muito nos preocupa, principalmente no pós-pandemia”.

Denúncias

As denúncias podem ser feitas pelo Disque 100 (Direitos Humanos). Em Ipatinga, o Conselho Tutelar atende pelos números 3829-8427, 3829-8433, 98865-4176 ou 98865-4029, ou ainda pelo site da PMI. As suspeitas ainda podem ser reportadas pelo 156, o telefone da Ouvidoria e pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social - Creas, que fica na Rua Pouso Alegre, 34 Centro - Tel. 3829-8453.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO