Volta dos jogos é responsabilidade dos clubes, diz secretário

A deliberação 17 do Comitê Extraordinário Covid-19 determina que não sejam realizados eventos com aglomeração maior do que 30 pessoas em Minas Gerais

Bruno Cantini


Secretário de Estado de Saúde indica que jogos podem ser realizados sem presença da torcida

Com os jogos de futebol paralisados em Minas Gerais desde março, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, falou em entrevistas dos possíveis cenários para volta das partidas. Em entrevista coletiva no início da semana, Amaral frisou a responsabilidade dos clubes numa possível volta.

“Nós entendemos que o que for de responsabilidade dos clubes, que seja para público interno e não envolva aglomeração. Os clubes têm equipes médicas qualificadas, profissionais que têm condições de definir protocolos com muita clareza, com acompanhamento dos jogadores, das pessoas que estão envolvidas, com o isolamento adequado, com a testagem adequada”.

A deliberação 17 do Comitê Extraordinário Covid-19 determina que não sejam realizados eventos com aglomeração maior do que 30 pessoas em Minas Gerais. Apesar disso, o secretário aponta que, no caso dos jogos com portões fechados, a realização das partidas ficaria a cargo dos clubes.

“Os clubes têm profissionais, têm condições de definir protocolos, com isolamento adequado, testagem adequada. Nessa deliberação 17, temos que aglomeração não deve ser maior do que 30 pessoas. De forma geral, o que se entende por atividades de público interno, dentro de empresas ou comércios, ficaria por conta do proprietário. Eventos que envolvam grande público não devem ser realizados”, disse Amaral.

Sette Câmara cobra posicionamento da FMF

Em entrevista concedida à Rádio Itatiaia, o presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, reclamou da falta de planejamento da Federação Mineira de Futebol (FMF) para o possível retorno do Campeonato Mineiro.

“Alguns dias atrás nós tivemos uma reunião virtual com o presidente da CBF, Rogério Caboclo. E ele apontava no sentido de que nós tentássemos nos esforçar para tentar, utilizando protocolos que foram disponibilizados pela própria CBF [...], voltar ao Estadual, e depois o Brasileiro. Isso aconteceu lá com o Internacional, com o Grêmio, com o Flamengo, o Avaí já fala em fazer também. E eu também já comecei a fazer isso aqui no Atlético. O problema todo é que nós não temos ideia de como vai ser o Campeonato Mineiro, porque, infelizmente, o presidente da Federação Mineira sequer me deu um telefonema até agora”, reclamou o mandatário alvinegro, dizendo que o clube optou por fazer contato direto com a CBF para receber novas diretrizes diante da “omissão” da FMF.

Funcionários e jogadores do clube fizerem testes de covid-19 na segunda-feira. Três profissionais, que não tiveram nomes e cargos revelados, apresentaram sintomas da doença e foram colocados em quarentena. Caso seja confirmado que eles contraíram o vírus, serão afastados do clube e o restante dará início aos trabalhos internos.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO