Covid-19: consequências em idosos estão no foco de pesquisas científicas

Programa apoia investigações para o enfrentamento ao novo coronavírus

Divulgação


Dentre as variadas pesquisas, algumas estão se destacando por buscarem entender as consequências da Covid-19 na saúde dos idosos

Pesquisadores brasileiros estão empenhados em desenvolver pesquisas que ajudem no entendimento do novo coronavírus, que causa a doença Covid-19. Vinculadas ao Programa de Combate a Epidemias da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), as investigações são capazes de dar respostas às diversas perguntas no âmbito do vírus e da doença. Dentre as variadas pesquisas, algumas estão se destacando por buscarem entender as consequências da Covid-19 na saúde dos idosos.

Um dos projetos é o da fisioterapeuta Gabriele Keller, bolsista de doutorado da Capes, que pesquisa sobre os idosos domiciliados no campo. O projeto analisa os reflexos do isolamento na saúde física e psíquica na zona rural, assim como os sintomas para síndromes respiratórias, adesão às recomendações de isolamento social e o acesso às informações como aos serviços de teletriagem e telemedicina.

Outra pesquisa, esta da biomédica Luiza Lemos, busca avaliar as características clínicas e epidemiológicas de pacientes e a correlação entre o perfil de marcadores sanguíneos - que detectam liberação de substâncias no sangue por conta de infecções - com o agravamento da doença causada pelo novo coronavírus.

Além destas, a preocupação em desenvolver aparatos técnicos capazes de promover proteção dos profissionais de saúde também é foco de pesquisas. Exemplo está sendo feito pela farmacêutica Meliza Oliveira, bolsista de mestrado pela Capes, que pretende desenvolver equipamentos de proteção nanotecnológicos para profissionais da área de saúde e do comércio. Dentre as possibilidades estão escudo facial e tecidos têxteis para uniformes com características antiviral e antibacteriana, para melhorar a proteção dos profissionais e diminuir as chances de contágio.

Apoio a pesquisas no Brasil

O Programa Estratégico Emergencial de Combate a Surtos, Endemias, Epidemias e Pandemias oferece 900 bolsas de doutorado e pós-doutorado para as áreas de Epidemiologia, Infectologia, Microbiologia, Imunologia, Bioengenharia e Bioinformática.

O programa tem como objetivo apoiar projetos de pesquisa e formação de recursos humanos altamente qualificados, no âmbito dos Programas de Pós-Graduação stricto sensu, voltados ao enfrentamento da Covid-19 e em temas relacionados a endemias e epidemias típicas do País.

*Com informações do MEC

(Agência Educa Mais Brasil)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO