Coronel Fabriciano prepara leitos para tratar possíveis casos graves de Covid-19

A disponibilidade do espaço já havia sido formalizada ao governo estadual

Divulgação


Os leitos de retaguarda funcionarão no prédio anexo do HJMM

A administração de Coronel Fabriciano informa que disponibilizou ao Estado de Minas Gerais a estrutura do Hospital Dr. José Maria Morais (HJMM) para receber 59 leitos de UTI e de internação para atender pacientes graves com o novo coronavírus (Covid-19). Os leitos de retaguarda funcionarão no prédio anexo do HJMM, com 1.350 m² de área construída, que está em fase final de reforma. As obras contemplam intervenções na parte estrutural, inclusive para instalação de dois elevadores tipo maca. A previsão da administração municipal é concluir os serviços em 10 dias.

A disponibilidade do espaço já havia sido formalizada ao governo estadual. O documento também foi entregue ao Ministério Público em reunião com os prefeitos do Vale do Aço realizada nessa terça-feira (7).

“Inicialmente, o espaço iria abrigar o novo bloco cirúrgico com três salas, 20 novos leitos cirúrgicos e de internação. Mas com a chegada da Covid-19, o prefeito determinou que as obras fossem aceleradas e o espaço preparado o quanto antes para receber leitos com respiradores para atender um possível crescimento de casos graves esperado para os próximos meses. Agora dependemos do envio de recursos e equipamentos por parte do Estado para abertura destes leitos”, explica Kátia Barbalho, secretária de Saúde e diretora administrativa do HJMM.

Hoje, o HJMM possui 60 leitos de internação, sendo dez de UTI e 30 de clínica médica; 14 leitos são destinados a cirurgias eletivas, que agora estão suspensas em virtude da pandemia. A pediatria possui seis leitos. O HJMM foi reaberto pela administração de Fabriciano em julho 2017, e a unidade é a única porta 100% SUS para casos de urgência e emergência em Fabriciano e referência para municípios vizinhos.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Sr.sincero 11 de abril, 2020 | 15:41
Rusty...não me admiraria ver ambientalistas em defesa dos pobres e indefesos VÍRUS, coitadinhos, eles precisam viver.
"O homem esse ser malvado que só trás mazelas a humanidade têm que morrer, afinal VIVA O MEIO AMBIENTE! VIVA A NATUREZA, o ser humano não é parte dele." Ecochato.
Rusty 10 de abril, 2020 | 14:20
Infelizmente a UPA, em Fabriciano,aguarda liberação ambiental para funcionamento.
Sr.sincero 10 de abril, 2020 | 09:15
Por que não utilizar as UPAs em construção como Hospital de Campanha? No SP2 em Fabriciano tem uma senhora construção parada aguardando utilização(Esquece inauguração oficial papa votos) . Usem logo, antes que os vândalos depredem tudo!
Márcio 10 de abril, 2020 | 04:50
É lamentável que o ser humano estuda e venha a público dizer ao contrário daquilo que a ciência lhe ensinou. O mundo já deu a nota músical para os países que foram teimosos e quebraram a quarentena. Espanha, França e Estados Unidos.... já tocaram e continuam tocando marchas fúnebres todos os dias; 700, 500, 900.... Me parece que alguns ainda estão pagando pra ver. Não acredito que Coronel Fabriciano tenha estrutura suficiente para enfrentar essa crise. Vale lembrar a imensa fila todos os dias na Secretaria de Saúde na Magalhães Pinto para pegar ou fazer cadastro de medicamentos de uso contínuo; São pessoas supostamente do grupo de risco que ficam na fila. Obedeça a CIÊNCIA! Fique em casa!! Não faça o coveiro trabalhar além do nessário.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO