CBF irá socorrer clubes, árbitros e federações

Após registrar arrecadação recorde de R$ 957 milhões no ano passado, a confederação vai acudir 160 equipes masculinas e femininas

Bruno Cantini


Os 486 membros do quadro nacional de arbitragem vão receber ao todo R$ 900 mil

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) irá liberar R$ 36 milhões em recursos para clubes, árbitros e federações estaduais enfrentarem a perda de recursos causada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O repasse mais recente do pacote de socorro teve início na última terça-feira, com o repasse de cerca de R$ 15 milhões para equipes das Séries C e D do Campeonato Brasileiro, além dos times femininos das duas divisões nacionais.

Após registrar arrecadação recorde de R$ 957 milhões no ano passado, a confederação vai acudir 160 equipes masculinas e femininas. Somente a Série A não teve até agora nenhuma medida anunciada. No restante, os times da Série B receberam cada um R$ 600 mil pelo adiantamento das cotas de televisão e as demais divisões nacionais terão acesso aos valores pelos próximos dias.

O pacote de medidas inclui também mais R$ 120 mil para cada uma das 27 federações estaduais. Os árbitros também serão beneficiados. Sem poderem receber pelos jogos em que apitam, os 486 membros do quadro nacional vão receber ao todo R$ 900 mil. Outra parcela do auxílio é a isenção aos clubes do pagamento de taxas de registro em transferência. Essa medida vale por tempo indeterminado e pela estimativa da CBF vai gerar das equipes uma economia de R$ 4 milhões nos três primeiros meses.

O calendário sem previsão de retorno e as receitas em queda para os clubes fazem a CBF não descartar outras medidas. A entidade tem discutido com o governo federal propostas para os clubes não demitirem funcionários, negocia com o mercado financeiro a criação de linhas de crédito específicas para os times e promete manter o investimento de R$ 80 milhões neste ano para os campeonatos das Séries C e D.

Os beneficiários de grande parte dos recursos respiram um pouco mais aliviados. Cada time da Série C receberá R$ 200 mil. Na Série D, a divisão é por R$ 120 mil para cada participante. Os valores foram definidos de acordo com a média de dois meses de folhas salariais para atletas das competições. No futebol feminino, quem está na elite ganhará R$ 120 mil. Já os participantes da segunda divisão receberão R$ 50 mil.

Até mesmo as 27 federações estaduais pelo Brasil têm sofrido. Grande parte dos recursos delas depende das taxas de realizações de jogos. Em média, 5% da renda bruta com a bilheteria de partidas de qualquer competição é encaminhada para as federações.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO