Pequenos negócios buscam alternativas para driblar a perda de clientes na Páscoa

O momento pede que empreendedores revejam seus gastos e cuidem do controle do fluxo de caixa

Divulgação


Empreendedores do Vale do Aço investem em delivery e divulgação nas mídias sociais para se aproximar do público

A Páscoa, principal período de vendas para a indústria do chocolate durante o ano, se transformou, em 2020, em um dos maiores desafios já encarados pelos setores. Com a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), os empresários que esperavam um crescimento de 5% a 10% nas vendas este ano (de acordo com pesquisas do segmento), estão tendo de criar soluções alternativas para reduzir o impacto com a restrição de deslocamento dos clientes imposta em praticamente todos os estados.

A empreendedora Neila Cristina da Costa, atendida pelo Sebrae Minas por meio da Microrregião de Ipatinga, produz biscoitos caseiros e, neste ano, decidiu apostar em produtos personalizados para a Páscoa. Os biscoitos ganharam uma embalagem mais arrojada, criada em parceria com uma artesã, que além de deixar as guloseimas mais atrativas, mantém a mercadoria higienizada em tempos de coronavírus. “Criamos uma embalagem com estampas da Páscoa, que é revestida com um plástico mais resistente. Todas são desinfetadas antes de serem entregues ao cliente”, destaca Neila.

Formalizada como Microempreendedor Individual (MEI) desde 2017, o empreendimento de Neila começou quando a produção era apenas para presentear um amigo ou parente. A atividade deu a ela uma nova fonte de renda, a oportunidade de fazer o que gosta e ainda poder ficar mais tempo com os filhos. Para o momento de crise, em meio à pandemia do coronavírus, a empreendedora aposta nos quitutes para serem presentados. “Minha expectativa é de ter um aumento de 40% na comercialização dos produtos durante a Páscoa. Estamos fazendo entregas pelo delivery e apostando na divulgação nas redes sociais para atrair os clientes”, ressaltou a empreendedora, que também é uma das mulheres assistidas pelo programa de empreendedorismo feminino Sebrae Delas.

Atento às necessidades específicas desses empreendedores, o Sebrae preparou um conjunto de sugestões que podem ser adotadas para reduzir as perdas com a pandemia do Coronavírus.

Cuidados financeiros

O momento pede que empreendedores revejam seus gastos e cuidem do controle do fluxo de caixa. Repense expectativas de vendas, evitando compras desnecessárias, inclusive para o período da Páscoa. Se trabalha com encomenda, peça mais prazo de produção para seu cliente. Se tem contas em aberto com fornecedores, renegocie prazos de pagamentos. Se necessário, reduza sua oferta (mix) de produtos, trabalhando apenas com aqueles que garantem boa margem de lucro, priorizando liquidar o estoque acumulado e não fazer compras arriscadas. A hora é de apertar os cintos.

Cuidados com a produção

Todo estabelecimento de alimentação deve cumprir as Boas Práticas de Fabricação (BPF) e manipulação de alimentos.
Um exemplo de cuidados é a redução de microrganismos presentes na pele em níveis seguros, durante a lavagem das mãos com sabonete antisséptico ou por uso de agente antisséptico (como o álcool 70%) após a lavagem e secagem das mãos. Luvas e máscaras também podem ser aliadas, mas devem ser substituídas com frequência. No Portal do Sebrae estão disponíveis materiais orientativos, incluindo um curso EAD de boas práticas. Essa e outras dicas estão no site do Sebrae.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO