Clubes e jogadores seguem sem acordo sobre salários durante paralisação

Lucas Merçon/ Fluminense F.C.


Comissão Nacional de Clubes propôs reduzir salário dos atletas em 25%
(Agência Brasil)
Impasse. Times e jogadores ainda não chegaram a um acordo de como atravessar os efeitos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no âmbito econômico. A Comissão Nacional de Clubes (CNC) propôs reduzir em 25% o salário dos atletas durante o período de paralisação do futebol. Entretanto, a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) não aceitou a proposta, alegando que ela fere a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) e também foi rejeitada por sindicatos estaduais e municipais da categoria.

A negativa dos representantes dos jogadores foi encaminhada na quarta-feira (25) ao presidente do Fluminense, Mario Bittencourt, que representa as grandes equipes brasileiras. Os atletas também querem que a CBF seja uma espécie de avalista do acordo, garantindo assim o pagamento do salário do mês de março, parcela dos direitos de imagens e as férias a serem usufruídas em abril.

Em nota oficial, publicada no site da Fenapaf, a entidade pontua: “estamos dispostos a dividir soluções conjuntas para que os custos da reconstrução sejam compartilhados (...) afinal de contas, somos um só povo, na alegria e na tristeza".
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO