O estágio e a aprendizagem em tempos de coronavírus

Alexandre Cézar de Oliveira Melo *

Temos um país carente, entre diversas coisas, de políticas públicas que efetivamente contribuam para a inserção de adolescentes e jovens no mercado de trabalho. Dentre as poucas políticas públicas existentes para essa camada da população, destacam-se os programas de estágio e de aprendizagem.

O estágio, como a legislação vigente define, é um ato educativo escolar supervisionado. Essa atividade possibilita ao estudante dos ensinos médio, técnico e da educação superior o exercício prático do que ele aprende em teoria na sala de aula. Já a aprendizagem oferece aos adolescentes e jovens, na faixa etária entre 14 e 24 anos, oportunidades de capacitação profissional que conciliam encontros teóricos nas entidades capacitadoras e atividades práticas nas empresas contratantes. A contratação de aprendizes é compulsória para empresas com mais de sete empregados, que devem cumprir uma cota explicitada em lei.

O Centro de Integração Empresa-Escola de Minas Gerais (CIEE/MG) é uma das mais conhecidas entidades capacitadoras de aprendizes e o agente de integração mais referenciado do território mineiro. Nos últimos 40 anos de atividades, a instituição já beneficiou mais de meio milhão de estudantes com oportunidades de estágio e de aprendizagem. Antes do período crítico de combate ao coronavírus, a instituição contabilizava quase 12 mil estudantes em estágio e mais de mil aprendizes contratados.

Desde o último dia 20 de março, os colaboradores do CIEE/MG migraram suas atividades para o formato de home office, objetivando contribuir para as medidas de isolamento social para combater a propagação do coronavírus. Cada colaborador da instituição assumiu um novo desafio: a defesa do direito da prática profissional para estudantes, adolescentes e jovens.

Neste sentido, estamos sensibilizando os micro, pequenos, médios e grandes empresários que atualmente têm estagiários e aprendizes em seus quadros que, quando possível, ofereçam a eles a possibilidade da continuidade do desenvolvimento prático de suas atividades, por meio dos recursos tecnológicos existentes, no formato de home office. Caso isso não seja possível, recomendamos que esse breve intervalo de quarentena seja avaliado como um recesso. A equipe do CIEE/MG está à disposição para oferecer orientações e sugestões. Consulte-nos pelo telefone/Whatsapp (31) 3429-8100 ou pelo e-mail atendimento@cieemg.org.br.

Por meio do site do CIEE/MG, os aprendizes em recesso substituirão suas atividades teóricas presenciais pelos cursos virtuais da plataforma Saber Virtual (saiba mais em www.cieemg.org.br).

Acreditamos que esse hiato nas atividades da maioria das empresas e dos profissionais seja breve e necessário para garantir a saúde de todos, gestores, colaboradores, estagiários e aprendizes. Assim sendo, contamos com nossos parceiros para que, neste momento adverso, continuem investindo nos seus futuros e potenciais talentos.

* Supervisor de Comunicação e Marketing do CIEE/MG.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO