Campeonatos só devem ser retomados no meio do ano

A Federação Mineira de Futebol (FMF), por exemplo, informou aos clubes que a determinação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) é encerrar os estaduais de todas as divisões, a que tempo for

Bruno Cantini


As disputas dentro de campo só devem voltar, numa previsão otimista, no meio do ano

Com o futebol brasileiro (e mundial) completamente paralisado em função da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e com os clubes e as entidades federativas sem uma definição com relação ao futuro, a todo momento surgem especulações ou possibilidades. O certo é que, com a pandemia ainda em evolução e fora de controle, o que se prevê é que nada acontecerá nos clubes antes do fim de abril ou início de maio, isto dentro das previsões otimistas.

A Federação Mineira de Futebol (FMF), por exemplo, informou aos clubes que a determinação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) é encerrar os estaduais de todas as divisões, a que tempo for. Com expectativas positivas de a pandemia ser controlada até o fim de abril, os clubes voltariam aos treinamentos no início de maio, fariam outra pré-temporada, com as competições voltando no fim daquele mês ou início de junho. Este o cenário para os mais otimistas.

Contratos

Os clubes pequenos do interior que disputam os estaduais irão se deparar, assim que retomarem as atividades, com um problema comum: o encerramento dos contratos de grande parte ou de quase a totalidade dos seus atletas. Os compromissos de todos eles vencerão em 31 de maio, pois para este mês estava previsto o encerramento das competições regionais em todo o Brasil. E com isto não ocorrendo, haverá que se buscar prorrogação ou renovação dos contratos, ainda não se prevendo até quando.

Com isto, há a possibilidade de muitos jogadores saírem para outros clubes ao não aceitarem a prorrogação ou proposta de renovação e os elencos mudarem completamente na reta final dos campeonatos. Times que estão na ponta da tabela poderão estacionar e outros em posições intermediárias ou na parte de baixo poderão reagir.

Férias?

Com essa paralisação, a CBF e as federações deixaram a critério dos dirigentes dos clubes definirem se os atletas entrarão em férias ou não. As negociações com os sindicatos dos atletas profissionais em cada estado estão em curso, ainda sem uma palavra final. Poderão ocorrer situações distintas em clubes de cada divisão em cada estado. A suspensão dos contratos de trabalho também é outra hipótese aventada, assim como a redução nos salários, porém não há nenhum acordo fechado com os representantes dos atletas.

Brasileirão

Com a extensão de datas dos estaduais, o que se espera é uma modificação na fórmula de disputa do Brasileirão deste ano, pelo menos das Séries A e B, jogados em pontos corridos. Ainda que não haja mais a folga para a Copa América (adiada para 2021), não haverá mais trinta e oito datas para se jogar a competição nacional, que terá que ser intercalada com a Libertadores da América, Sul-Americana e Copa do Brasil. Com isto, seguem fortes os rumores em relação à volta do famoso mata-mata, ou seja, seria jogado apenas um turno e os oito primeiros seriam classificados às quartas de final, quando seria reeditado, somente este ano, o sistema eliminatório popularmente chamado de mata-mata.

Por ora são especulações, pois não há como definir prazos, datas, recessos, férias ou reinício de atividades. O coronavírus atacou brutalmente o esporte mais popular do planeta, não importando os clubes ou entidades mais ricas ou mais pobres.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO