Empresa de entrega rápida em Ipatinga triplica atendimentos

Diante desse cenário, com as ruas vazias e pessoas trancadas dentro de casa, os serviços de entrega têm sido bastante procurados por clientes e estabelecimentos comerciais

Wôlmer Ezequiel


Carlos Augusto informou que após os decretos de estado de emergência na região, sua empresa teve de 300 a 500 novos usuários por dia

Com o comércio de portas fechadas, impedido de receber clientes dentro dos estabelecimentos, por meio de decretos municipais e estadual, restou apenas uma alternativa para os empreendedores: trabalhar com serviços de entrega. Essa é uma maneira de continuar gerando emprego e renda, já que esse tipo de atividade ainda não foi proibido. Além disso, contribui para que não ocorra um desabastecimento de produtos e alimentos durante a pandemia do novo coranavírus (Covid-19).

Diante desse cenário, com as ruas vazias e pessoas trancadas dentro de casa, os serviços de entrega têm sido bastante procurados por clientes e estabelecimentos comerciais. Em entrevista ao Diário do Aço, o proprietário de uma empresa de entrega rápida em Ipatinga, Carlos Augusto Paiva, informou que após os decretos de estado de emergência no Vale do Aço, houve um aumento considerável de pedidos de entrega em sua empresa. “Reparamos que o número de nossos pedidos foi triplicado nesses últimos dias. Estamos tendo uma forte adesão de novos usuários em nosso aplicativo e de novos cadastros de empresas. Temos, em média, de 300 a 500 novos usuários por dia. Já chegamos a 20 mil usuários no aplicativo e a tendência é continuar aumentando diariamente. Fazemos entrega para lanchonetes, restaurantes, farmácias, supermercados, botijão de gás e dentre outros na região do Vale do Aço”, destacou.

Faturamento e empregos

Conforme Carlos Augusto, a tecnologia é uma ferramenta para que as empresas e lojas possam continuar faturando durante essa crise provocada pelo coronavírus. “Poderemos driblar todos esses desafios atuais por meio da tecnologia. A partir desta semana, boa parte do comércio estará fechado no Vale do Aço, exceto os estabelecimentos essenciais, como supermercados e farmácias. Dessa maneira, o empresário que tem uma lanchonete ou um restaurante pequeno, poderá utilizar o serviço de entrega por meio de aplicativos de celular para continuar faturando e não precisar encerrar suas atividades por completo. Isso também contribuirá para as empresas manterem seus empregados”, afirmou.

Mudança de comportamento

Na avaliação do empresário, essa pandemia do coronavírus irá provocar uma mudança de comportamento entre as pessoas. “Uma vez que o indivíduo tem esse primeiro contato com a tecnologia e com a praticidade, por meio de celulares e computadores, onde ele poderá ver fotos dos produtos disponíveis, sem sair de casa, ele acabará se acostumando com esse novo tipo de serviço, que agilizará a sua vida”, acrescentou.

Orientações

Para evitar o contágio de coronavírus, Carlos Augusto informou que sua empresa tem orientado os estabelecimentos comerciais cadastrados em seu aplicativo para que adotem certas medidas preventivas. “Pedimos para que seus entregadores utilizem máscaras e tenham sempre um álcool em gel em mãos. E se possível, utilizem luvas”, pontuou.

Entrega sem contato

Conforme apurado pelo Diário do Aço, outra forma encontrada pelas empresas que prestam serviço de entrega rápida tem sido a opção “entrega sem contato”, já adotada em outros países que enfrentam o coronavírus. Para que isso ocorra, os pagamentos deverão ser efetuados online, pelo aplicativo das empresas. Na sequência, o entregador responsável pela rota será avisado e terá acesso aos direcionamentos enviados pelo cliente para que possa concluir a entrega sem interação.

A medida preventiva tem como objetivo proteger a saúde dos clientes da plataforma e parceiros de entrega em um momento onde a sociedade é orientada a evitar o contato pessoal.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aurora 22 de Março, 2020 | 15:24
A usiminas mecânica continua trabalhando normalmente . Lotado de funcionários , vão se contaminar e contaminar suas famílias. Ninguém fala absolutamente nada. Absurdo!!!

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO