Comerciante adota método incomum para a venda de álcool em gel

Para desestimular compra em excesso por uma só pessoa, quem quiser levar mais de uma garrafa tem cobrança de valor absurdo

Reprodução Cronica


Proposta visa desestimular a compra de mais de uma unidade por pessoa

Um comerciante de Buenos Aires, na Argentina, adotou um método incomum para evitar que as pessoas comprem, em excesso, as garrafas de álcool em gel provocando desabastecimento no mercado.

O lojista colocou à venda uma garrafa pelo preço normal, de 80 pesos, o que equivale a R$ 5,71.

Entretanto a segunda garrafa sai por 500 pesos, o que equivale a R$ 35,70.

Com essa diferença, espera-se que as pessoas sejam desestimuladas a comprar mais de uma unidade por vez.

A proposta central da ideia é levantar a consciência que outras pessoas também precisam e não se deve levar para casa mais que o suficiente para alguns dias.

A ação foi "copiada" da Dinamarca, onde medida semelhante foi adotada para evitar o desabastecimento.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO