Timóteo decreta estado de emergência sanitária

Entre as medidas preventivas anunciadas pelo governo está a suspensão das aulas da rede municipal de ensino

Divulgação


Medidas para conter o avanço do novo coronavírus foram definidas em reunião na manhã de segunda-feira

O comitê de enfrentamento ao novo coronavírus de Timóteo se reuniu na manhã desta segunda-feira (16) para deliberar sobre algumas medidas preventivas à doença. A principal delas foi a decretação do estado de emergência sanitária no município, informou o Executivo. A reunião do comitê - a segunda em cinco dias -, reuniu representantes do Hospital e Maternidade Vital Brazil (HMVB), da UPA Geraldo dos Reis Ribeiro, das secretarias municipais de Saúde e Educação, da Câmara e foi coordenada pelo prefeito Douglas Willkys.

A medida ocorre de forma preventiva, já que até o momento não há registro de nenhuma pessoa infectada com o novo coronavírus em Timóteo.

Segundo o prefeito Douglas Willkys, as medidas adotadas levam em consideração critérios técnicos para preservar a saúde da população e evitar a transmissão do vírus.

As aulas na rede municipal de ensino, incluindo creches, educação infantil, de jovens, adultos (EJA) e Apae serão suspensas entre quarta-feira-feira (18) e domingo (22). A recomendação é para que as aulas dos programas Humanizar e Andança sejam suspensas imediatamente, assim como as visitas ao Sodalício Tio Questor. As próximas rodadas do Campeonato Verão também serão adiadas.

As cidades vizinhas de Ipatinga e Coronel Fabriciano confirmaram os primeiros casos para coronavírus, por isso a necessidade de redobrar a atenção, principalmente em relação à aglomeração de pessoas e ao público idoso, destaca o governo.

A orientação é válida também para os cultos e missas. A programação em comemoração ao Dia da Água, organizada pelos parceiros do Plano Integrado de Educação Ambiental (PIEA) também está suspenso.

No âmbito da administração municipal, também serão adotadas algumas providências. No paço municipal, por exemplo, a ideia é evitar a concentração de pessoas, priorizando o agendamento para os serviços que puderem optar por essa modalidade.

Férias

Para os servidores que estão de férias, a Vigilância Epidemiológica analisará caso a caso para saber sobre a necessidade de isolamento domiciliar para os que viajaram para o exterior ou para estados onde já está confirmada a transmissão comunitária por coronavírus.

As férias de servidores públicos municipais da área da saúde também serão suspensas nos próximos dois meses para não desfalcar as equipes de atendimento. Também está cancelada até segunda ordem a participação de servidores em cursos, congressos e outros treinamentos fora do município.

Hospitais

A UPA e o Hospital Vital Brazil irão restringir a presença de acompanhantes nas dependências das respectivas unidades como medida preventiva. Em caso de dúvidas o cidadão pode entrar em contato com a Vigilância Epidemiológica de Timóteo pelo telefone 3847-7629.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Valeria 18 de março, 2020 | 18:38
Gostaria de pedir a vigilancia sanitaria para imppr um decreto para higienizacao dos supermercados em corrimoes e carrinhos de comora como tam nos caixas dos mesmos.
Cidadã 17 de março, 2020 | 20:28
Receber um salário justo todo mundo quer, mas tem hora pra tudo! Em um momento que surge uma das maiores Pademias do mundo, funcionários de um hospital querer fazer greve? Isso é um absurdo! Isso é crime! Em um momento desse vimos no mundo todo pessoas se oferecendo p trabalhar de graça, que vergonha! É só mandar dispensar os amotinados e realizar novas contratações!
José Moreira de Alcântara 17 de março, 2020 | 12:59
Não é hora de oportunistas de plantão, fazer politicagem. A situação é séria. Vamos unir nossas forças em favor do bem comum
Paulo 17 de março, 2020 | 00:14
Boa iniciativa, mas os servidores públicos já estão em Estado de greve, e parti de semana que vem, poderão ficar em casa e vários funcionários irão fazer falta na saude, isto tudo por que a administração municipal não quer dar um aumento no vale alimentação. onde já tem dois anos sem aumento, e onde este valor não impacta em nada na lei de responsabilidade fiscal, todos nós temos famílias para cuidar , e a maioria dos servidores ganha pouco, e estão todos os dias lá trabalhando. Será que é muito pedir um aumento em um vale alimentação???
Wilton Pereira Nunes 16 de março, 2020 | 19:08
Providencial a iniciativa da administração. E hora de nos solidarizarmos e assumirmos posturas que o momento exige.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO