Buscando solução para uma inundação

Carta do leitor


Meu nome é José Lopes da Cunha, sou aposentado e resido há mais de 50 anos na rua Tomás Gonzaga, no bairro Bom Retiro, em Ipatinga. E sofri com inundações mais de oito vezes.

Não sou político, não tenho partido, sou apenas um morador da comunidade. Meu objetivo é mostrar para a população uma solução para as inundações do bairro. Como morador sempre prejudicado pelas cheias na época da chuva, comecei a me interessar pelo problema do bairro e procurei a prefeitura de Ipatinga em busca de uma solução. Acompanhei todo o processo, consegui copias das plantas das galerias, acompanhei o trabalhado das equipes de obra para entender que estava sendo feito.

De 2001 a 2004 fotografei e filmei muitas inundações no bairro Bom Retiro. Afetado pessoalmente pelo problema, tentei sem êxito reuniões com o poder público, mandei cartas e uma filmagem para o secretário de obras, José Maria Ferreira, com o objetivo de mostrar à prefeitura a causa das inundações, mas eles não me deram atenção.

Em 1979 todo o país sofreu com as inundações, e em nossa cidade até a laminação da Usiminas foi atingida. Após a tragédia, a empresa construiu uma galeria de 160 x 330 metros saindo da Usiminas, passando pelas avenidas Pero Vaz de Caminha e Fernando de Noronha, ampliando a caixa coletora no final da Fernando de Noronha, onde uma caixa passou a receber 8,52 m³, com saída de uma galeria 2,20 x 2,20 = 4,84m³.

Esta caixa recebia a água de várias redes, galeria e esgoto, jogando tudo no Rio Piracicaba através de um tubo de 1,80 x 1,92 = 6,64m3. Com o aterro da área para a construção da Unidade II do Hospital Márcio Cunha, esse tubo ficou a mais ou menos 10 a 12 metros de profundidade, e acabou sendo obstruído. Nós encontramos um PV ao longo do mesmo, com a tampa de concreto quebrada e havendo risco de cair dentro do mesmo, e a partir disso foi feita a limpeza e desobstrução, sendo contratada a Bellatrix Engenharia, com caminhões tanque de 15 mil litros, colocados próximo ao Rio Piracicaba, sugando água com uma bomba o jato dentro e jogando dentro do tubo até a caixa coletora, que foi totalmente desobstruída.

Esta limpeza foi feita em 2006, no mandato do prefeito Sebastião Quintão, quando o secretário Ricardo Cadar nos deu apoio. Descobrimos que a causa das inundações no bairro era o retorno, uma vez que a caixa enchia e saída era menor que chegada, causando o retorno nas redes nas partes mais baixas do bairro do chamado CM (esgoto com água de chuva), acabou porem as inundações no bairro.

Com a limpeza do tubo de rede pluvial com 1,80 x 1,92m, foi feito um escoramento de madeira na tampa quebrada do PV, mais ou menos a 80 metros do mesmo, mas a água faz a madeira apodrecer e houve a nova enxurrada que levou o escoramento, fazendo cair caiu parte da tampa do concreto (foto anexa). A minha preocupação voltou, e em 2017 tive várias reuniões com o secretário de obras e sua equipe, mostrando o risco que corríamos de obstrução do tubo. Depois o secretário e engenheiro José Maria Ferreira voltou a ser secretário e continuei os contatos, sem sucesso. Só quando chegou o engenheiro Carrato tive acesso ao prefeito Nardyello Rocha, que autorizou o envio de uma equipe ao local, sendo retirados os pedaços de concreto do tubo-rede que passa no pátio da Unidade II do HMC.
A chegada na caixa coletora tem aproximadamente 8,52m³ e a saída para o Rio Piracicaba é de 6,64m³. E mesmo não havendo mais inundações no bairro,a saída da caixa coletora deveria ser maior do que a chegada.

Um funcionário da Usiminas, engenheiro Arthur, esteve em minha casa e me informou que cuidaria dos problemas externos que eventualmente fossem de responsabilidade da Usiminas, levou uma cópia do DVD que eu gravei e uma cópia da carta enviada ao prefeito. O secretário de Obras disse que entraria em contato comigo, mas isso não aconteceu até o momento.

José Lopes da Cunha, aposentado, bairro Bom Retiro. Fone (31) 3823-2697 / 99156-3986.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO