Festa de carnaval em Ipatinga arrecada cerca de 20 toneladas de alimentos

O diretor também informou que foram gerados 250 empregos diretos durante o “Carnariru”, em Ipatinga

Divulgação


As doações foram entregues para a Casa de Alimentos de Ipatinga

Durante quatro dias de folia, o evento ''Carnariru'' recolheu cerca de 20 toneladas de alimentos não-perecíveis. A festa foi realizada pelo espaço cultural Garajão, na avenida Zita de Oliveira, no Novo Centro, em Ipatinga. Os foliões curtiram a festa nos dias 22, 23, 24 e 25 deste mês, e foi cobrado na entrada apenas um quilo de alimento não-perecível.

Conforme o diretor do Garajão, Victor Bretas, as doações foram entregues na manhã desta quinta-feira (27) para o Banco de Alimentos de Ipatinga. “Temos a expectativa que seja o recorde de maior arrecadação para o Banco de Alimentos. Ainda será contabilizado o material. Foi preciso três caminhões e duas carretas para transportar as doações, como arroz, feijão, macarrão, leite, óleo e dentre outras”, contou.

O diretor também informou que foram gerados 250 empregos diretos durante o “Carnariru”, em Ipatinga. “Só de seguranças foram contratados 100, além de vendedores em barracas e funcionários para a limpeza. O evento também movimentou a economia da cidade, já que muitas pessoas utilizaram aplicativos de transporte, fizeram compras em supermercados e em padarias. Ou seja, esse tipo de evento contribui para que o dinheiro fique em Ipatinga, ao invés de ser gasto nos carnavais de Belo Horizonte, Rio Janeiro, Salvador e de outros locais”, citou Victor.

Na avaliação do diretor, cada participante deve ter gastado em torno de R$ 40 no evento. “Com isso, acredito que, ao todo, deve ter movimentado aproximadamente R$ 2 milhões na cidade, durante esses dias do Carnariru. Além disso, fizemos uma parceria com o supermercado Garcia para vender vale-alimentação no local do evento. Desse modo, quem não tinha conseguido comprar um quilo de alimentação poderia adquirir o vale, que seria trocado em doação depois”, contou.

A estimativa de Victor Bretas é que 50 mil pessoas circularam nos dias do evento. “Isso mostra o nosso potencial. Só precisamos de mais apoio. Se todo mundo ajudar, temos tudo para ter um dos maiores carnavais do Leste de Minas”, pontuou.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Palhaço 27 de Fevereiro, 2020 | 17:18
Concordo com a festa na cidade, mais infelizmente no meio de uma caixa de tomates, sempre vai existir um que esta estragado. O espaço e ideal, durante o dia o ambiente era divertido, algumas famílias mais liberais levaram as crianças, mais la assim como toda festa publica, se via de tudo, todos os tipos de amor, todos os tipos de bebidas, todos os tipos de fantasias. O prefeitura fez o que deveria fazer como em qualquer outra festa, se o organizador mostrou toda documentação, Bombeiros liberou por que iriam negar? Quando acontecem as festas juninas nos bairro e a mesma coisa. Mais minha opinião seria que para não acontecer como houve no Veneza 1, a festa em 2021 fosse em um lugar bem reservado, longe de residências. A tal Boate Scenarium não iria abrir la pelas bandas do Aeroporto? Fazem a festa la, mais fazem, nem todos tem condições de irem a praia ou algur um sitio.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO