MP afirma que gás emitido por indústria de celulose causou mau cheiro

Cenibra já avisou ao MP que tem interesse em firmar ajustamento de conduta para monitoramento de gases e ações compensatórias a dano ambiental

Wôlmer Ezequiel


Ministério Público enviou nota à imprensa na terça-feira, explicando motivo do odor sentido na última semana na região

O mau cheiro sentido em diversas cidades do Vale do Aço na noite de terça-feira (11) e madrugada de quarta-feira (12) da semana passada foi causado por uma emissão de gases da fábrica de celulose da Cenibra, em Belo Oriente, conforme divulgado no fim da tarde desta terça-feira (18) pela 9ª Promotoria de Justiça de Ipatinga.

Em nota enviada pela promotoria à imprensa, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) informou que “foi detectada a emissão de gases mercaptanas (GNC – Gases Não Condensáveis – mercaptanas) pela empresa Cenibra, por um tempo maior que o usual, no dia 11 de fevereiro de 2020, no período de 16h às 23h30”. O MP acrescenta que, segundo a empresa, a emissão, que usualmente ocorre apenas por alguns minutos, por uma falha no sistema, ocorreu por mais de 7h.

O evento detectado pela empresa, combinado com as condições meteorológicas de predomínio de vento nordeste, direção Governador Valadares-Ipatinga, é compatível com a ocorrência de odores desagradáveis registrada na noite de 11 de fevereiro de 2020.

Como mencionado na nota emitida em 12 de fevereiro de 2020, a exposição não prolongada a baixas concentrações de gases mercaptanas não tende a causar consequências graves à saúde.

No entanto, considerando as alterações causadas no estado de bem-estar físico, mental e social da população do Vale do Aço, e ainda em razão da poluição atmosférica, o Ministério Público informa que buscará uma compensação junto à empresa pelos interesses difusos atingidos.

A Cenibra informou ao Ministério Público que tem interesse em firmar um acordo prevendo termos para o monitoramento de gases oriundos do seu processo produtivo, bem como compensação pela ocorrência de 11 de fevereiro de 2020.

Já publicado:
Fedor no ar do Vale do Aço ainda é um mistério
Núcleo de Emergências Ambientais envia equipe ao Vale do Aço
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Simone 24 de Fevereiro, 2020 | 07:29
Se vocês que moram em Ipatinga sentiram, imagina quem mora em cachoeira escura o mal cheiro é quase que direto cheiro de repolho podre é horrível e o barulhos sonoro da descarga , quando faz o barulho o mal cheiro chega é horrível
Marilenemg 20 de Fevereiro, 2020 | 00:16
Uma nota negando...
Foi necessária uma investigação para a empresa sentir desejo de se retratar.
Meus olhos ficaram inchados até à tarde do dia seguinte.
Parecia xixi de animal e às vezes lavagem.
A cabeça foi doendo.
Meus amigos do Iguaçu usaram máscaras para conseguirem dormir.
Para nós não foi nenhuma novidade. Sabíamos que era da Cenibra.
Madmax 19 de Fevereiro, 2020 | 19:22
Só faltou a "cenibra" dizer que fui peidinho de leve da fábrica.Só espero que esse episódio não acabe em nada.Empresa assim, só aprende com multas e com denúncias.
Jaime 19 de Fevereiro, 2020 | 14:47
Uma fiscalizacao constante e necessario na cenibra.empresa que sabe do gas e mente nao podemos confiar.fiscalizar multar e ser muito dura com ela .principalmente na calada da noite o gas esta presente no ar que respiramos.
Adriano 19 de Fevereiro, 2020 | 11:57
No inicio a Cenibra descarta relação com o mau cheiro, a MP entra para averigua, so assim a cenibra assume a responsabilidade.
Fico imaginando se este mau cheiro nao tivesse chegado aqui na nossa região, a cenibra iria ficar "caladinha".
Agora imagina as pessoas que mora ao lado da empresa, que sente este cheiro todos os dia durante o ano todo.
Olha isso la tbem MP.
Pesquisador 19 de Fevereiro, 2020 | 10:34
Bom dia a todos leitores deste conceituado site de noticias
interesante disto tudo que a Cenibra por ser uma conceituada Empresa em celulose
teve coragem de vi a ão público repudiar que nada tinha a ver com o ocorrido
acredito que essa empresa tinha sim conhecimento de tal catastrofe que poderia ter causado danos, maiores a toda população que abrange o vale to Aço. resta agora as autoridades competente notifica-la para que atos assim não volte a acontecer.. principalmente quando tenta omitir o erro
Jose Gildo Sousa 19 de Fevereiro, 2020 | 10:10
Apesar de todo o transtorno e incômodo gerado, teria ficado bonito se a empresa viesse de imediato à público assumindo sua responsabilidade, se desculpando, tranquilizando a população e comprometendo-se a mitigar os possíveis danos causados.

Mas, infelizmente, preferiu se omitir e optou por fugir de prováveis responsabilidades. Promoveu pânico entre centenas de milhares de cidadãos com a incerteza da origem do odor, mobilizou vários órgãos públicos e gerou gastos desnecessários para o contribuinte/administração pública.

A Cenibra é uma grande empresa, não necessitava disso.
Camila 19 de Fevereiro, 2020 | 09:43
Engraçado que a Cenibra foi a primeira empresa a informar que o mau cheiro não teria vindo de suas atividades. Acabou a imagem que eu tinha de ser uma empresa idônea.
Joanas 19 de Fevereiro, 2020 | 08:43
Este gas e comum na calada da noite sempre sentimos este mal cheiro em ipatinga por curto periodo de tempo mas e bom que o fiscalize sempre.a cenibra nao pode ficar mentino e dizendo que este gas nao e dela.
Joaquim 19 de Fevereiro, 2020 | 08:28
Duvido que a direção da CENIBRA ajudou a mentir para sociedade de forma tao descarada , qual a moral que vao conduzir as operações da empresa junto aos funcionarios.Se mentiram desta maneira e possivel que tenham a esconder muito mais.
Em dias que o estado esta enfrentando dificuldades financeiras a sociedade faz pael de bobo e envia equipes para desvendar e elucidar a mentira da empresa.
quem vai pagar a conta de todo esfôrço dos órgãos do estado e a própria população.
Sugiro um TAC dentro das leis e uma investigação rigorosa pois neste caso certamente houve algum crime grave que tentaram esconder.
depois acontece como em brumadinhoi e fica o empurra empurra.
Tenho admiração epla CENIBRA mas alguém contaminou os valores orientais da empresa.
Barrabas 19 de Fevereiro, 2020 | 08:15
O pior disto tudo os dirigentes sabia e mentiu dizendo que o gas nao era da cenibra.
Fabio Sketine Oliveira 19 de Fevereiro, 2020 | 06:58
Agora vamos imaginar se a mesma ´Empresa´abafou este fato o que mais nocivo pode estar nos causando a medio e longo prazo alem do Meio Ambiente, atitude terrevivel que coloca em cheque os meios da sua produção no entorno do Vale do Aço. Lamentavel!
Oliveira 19 de Fevereiro, 2020 | 06:32
Costa, seu texto fora quase perfeito. Só não fora acidente, ainda mais por sete horas. A população sentiu os efeitos deste "acidente" por muito tempo e só ficou sabendo da verdade devido a intervenção dos órgãos públicos que apuraram o ocorrido.
Marcio Ribeiro 19 de Fevereiro, 2020 | 06:10
Analisando como uma empresa do porte como a Cenibra mentiu descaradamente emitindo uma nota p imprensa. Fico imaginando se há empresas emitindo gases tóxicos na região causando doenças graves como cancer e a gente nem sabe. Qual será a penalidade?? Faz um acordo e fica tudo certo? Presidente da Cenibra sabia????
Costa Gravessan 19 de Fevereiro, 2020 | 03:50
Recebi um texto e peço licença para republicar um trecho: "Ao longo de sua história, a Cenibra tem uma importante contribuição social, cultural e econômica no Vale do Aço e no Brasil, mas isso não lhe dá o direito de mentir como o fez no caso da emissão de gases, resultante de uma falha que ocorreu durante cerca de 7 horas". Ficou feio ein Cenibra.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO