Tolerância zero

Fernando Rocha

Divulgação


Fernando Rocha
Desde a acachapante derrota por 3 x 0 para o modesto Unión de Santa Fé, na Argentina, que praticamente decretou a eliminação precoce do Atlético na Copa Sul-Americana, as críticas ao trabalho do técnico Dudamel tomaram corpo junto à imprensa, refletindo-se imediatamente no humor da torcida alvinegra.

E o azedume se avolumou ainda mais depois do péssimo futebol apresentado na última quarta-feira, no empate em 0 x 0 diante do modestíssimo Campinense, em Campina Grande (PB), mesmo que tenha significado, por força do regulamento, o avanço da equipe na Copa do Brasil.

O próprio técnico Dudamel reconheceu o mau futebol e disse não entender os motivos, pois para ele o time “vem treinando bem”, o que dá motivos para uma série de ilações e suposições, uma vez que as atividades na Cidade do Galo são fechadas para a imprensa e a torcida.

Exceto por algumas escolhas erradas que fez nas escalações da equipe titular, eu acho que Rafael Dudamel é mais uma vítima do imediatismo que faz parte da cultura do nosso futebol, que olha apenas os resultados.

Há uma parcela minoritária da mídia, na qual eu me incluo, e que defende a “paciência” para que o trabalho do recém-contratado treinador e seus comandados deem frutos. Mas há outra ala bem maior e muito mais radical, cujas opiniões beiram a intolerância e exigem eficiência máxima, sem considerar que o Galo ainda está em início de temporada, com jogos eliminatórios e quase zero de treinamentos e apresentações oficiais.

Sinal de alerta
Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Esta expressão muito popular aqui nos nossos grotões serve para explicar a atual situação do Cruzeiro, que também está ciente que precisa qualificar melhor o seu time. Porém, em razão da situação financeira e administrativa caótica a que está submetido, sofre um grau de cobrança bem menor, com maior tolerância por parte da mídia e da sua torcida.

Mas após o sufoco que passou na última quinta-feira, ao empatar em 2 x 2 com o desconhecido e pequeno São Raimundo, em Roraima, classificando-se apenas pelo fato do regulamento lhe ser favorável em caso de empate, acendeu o sinal de alerta quanto a precisar qualificar mais a sua equipe, com jogadores mais experientes em competições nacionais.

Só com a garotada em campo, ficou claro que não vai conseguir o seu maior intento nesta temporada, que é se classificar entre os quatro primeiros na Série B e voltar à elite do futebol nacional no ano de seu centenário, em 2021.

FIM DE PAPO
• O Atlético trata muito mal os seus sócios-torcedores e, sobretudo, quem deseja se tornar um deles. Um amigo atleticano relatou à coluna que, durante toda a semana passada, tentou se tornar sócio “Galo na Veia Prata”, sem obter sucesso através do pagamento via cartão de crédito, que não foi aceito pelo site oficial do clube, mesmo sem haver qualquer restrição por parte da operadora. As justificativas do suporte técnico para as falhas no sistema de relacionamento digital com os torcedores foram as mais estapafúrdias.

• O mesmo amigo me disse que só conseguiu se tornar GNVP por ser muito insistente e um “atleticano acostumado a sofrer”, e mesmo assim, só depois de fazer o pagamento por transferência bancária. Além disso, as informações sobre os planos e benefícios, como a garantia da compra de ingressos para quem não reside em Belo Horizonte, são precárias ou inexistem no site do programa, conforme constatou a coluna. O clube estaria preparando o lançamento de novos planos, mas, enquanto isso, eu acho que deveria tratar bem melhor os seus fiéis torcedores, e não com tanto desleixo.

• O Ipatinga estreou com vitória no Modulo II, a segunda divisão estadual, vencendo o CAP no Parque do Sabiá, em Uberlândia, e por isso um bom público era esperado ontem no Ipatingão, para a primeira partida do time em casa, contra o Athletic de São João Del Rei. O time dirigido por Gerson Evaristo tem como destaque o meio de campo Tchô, revelado pelo Galo, hoje com 32 anos, autor do gol da vitória contra o CAP. Se o torcedor do Tigre teve dificuldades para acompanhar o andamento da partida em Uberlândia semana passada, desta vez foi diferente, pois a Rádio Educadora de Coronel Fabriciano esteve no Ipatingão, transmitindo a partida com toda a sua equipe comandada pelo competente e animado Cláudio Nunes.

• Vem aí o segundo encontro denominado “Lendas do Futsal no Vale do Aço”. O reencontro dos maiores nomes desse esporte na região nas décadas de 1970, 80 e 90 será no dia 21 de março (sábado), a partir de 9h, na quadra da Ambanoc, no bairro Novo Cruzeiro, em Ipatinga, com direito à tradicional resenha com churrasco e boa cerveja. A organização do evento está por conta de Cosme Matos, ex-técnico e ex-dirigente de futsal, juntamente com dois ex-atletas, Elder Teixeira e Paulo Henrique (Galego). O ingresso com direito à camisa personalizada vai ter preço único de R$ 50 e as reservas já podem ser feitas pelos telefones (31) 98520-6958 ou 99988-5201, até o dia 11 de março. (Fecha o pano!)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Marco Tulio Senior 14 de Fevereiro, 2020 | 16:07
1) Tenho dois Galo-na-Veia e, no momento, nao estou contribuindo porque a direcao estah reformulando o programa e, dessa forma, informou que TODOS ESTARAO IMPEDIDOS DE CONTRIBUIR durante a fase de transicao. 2) Sempre fui bem tratado pelos funcionarios GNV, e moro no exterior! 3) Soh posso atribuir essa mah experiencia de nosso "irmao" devido ao azar e/ou devido aa fase de transicao.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO