HMC é credenciado para tratamento específico ao AVC

O AVC é a segunda doença que mais mata os brasileiros, sendo a principal causa de incapacidade no mundo

Divulgação


Hospital estruturou uma Unidade de AVC com equipes preparadas para atendimento imediato ao quadro agudo da patologia

O Hospital Márcio Cunha (HMC), administrado pela Fundação São Francisco Xavier (FSFX) – braço social da Usiminas, obteve o credenciamento, por portaria federal, para realização de tratamento específico do AVC – Acidente Vascular Cerebral. As informações são da FSFX.

Para isso, o Hospital estruturou uma Unidade de AVC com equipes preparadas para atendimento imediato ao quadro agudo da patologia com emergencistas, neurologistas e equipe multiprofissional, realizando acolhimento inicial precoce deste perfil de pacientes.

“A nova unidade, específica para o tratamento do AVC está totalmente preparada, e, essa habilitação trará benefícios assistenciais a toda macrorregião. O AVC é uma das principais causas de internação hospitalar e pode gerar um grande número de sequelas quando não identificados os sinais e sintomas precocemente e tratado em tempo hábil”, explica Salomão Maciel Dias Ferreira, diretor-presidente da Fundação São Francisco Xavier.

Rapidez do atendimento

Diante de quadro suspeito de um AVC em via pública ou residência, é recomendado que o paciente ou familiar possa acionar o SAMU 192 (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ou serviço de ambulância de emergência de sua cidade para abordagem primária pela equipe do pré-hospitalar, com diagnóstico clínico precoce, estabilização do paciente e condução ao Hospital Márcio Cunha.

Ressalta-se que é importante observar e anotar a hora em que os primeiros sintomas apareceram. De acordo com a Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares, a identificação de um AVC pode ser realizada pela percepção dos seguintes sinais de alerta (SAMU): Sorria: peça para o paciente sorrir e ele apresenta boca torta; Abraço: Peça para o paciente abraçar ou elevar os braços e ele apresenta perda de força; Música: peça para o paciente repetir as letras de uma música ou frase e ele apresenta dificuldade de falar; Urgência: Ligue para o serviço médico de Urgência. “Se houver rapidez no atendimento, um medicamento venoso que dissolve o coágulo pode ser infundido aos pacientes com AVC isquêmico, em até 4,5 horas do início dos sintomas, desobstruindo o vaso, reduzindo de sequelas permanentes melhorando o desfecho”, afirma o Gerente das unidades de Cuidados Especiais do HMC, Marconi Franco da Silveira.

O QUE É O AVC?

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou derrame cerebral pode ser definido como o surgimento de um déficit neurológico súbito, causado por uma obstrução de um vaso sanguíneo (AVC Isquêmico), o tipo mais comum, ou ruptura deste vaso sanguíneo cerebral (AVC Hemorrágico).

É a segunda doença que mais mata os brasileiros, sendo a principal causa de incapacidade no mundo. Aproximadamente 70% das pessoas não retornam ao trabalho após um AVC devido às sequelas e 50% ficam dependentes de outras pessoas. Apesar de atingir com mais frequência indivíduos acima de 60 anos o AVC pode ocorrer em qualquer idade. A Organização Mundial de AVC (World Stroke Organization) prevê que uma a cada seis pessoas no mundo terá um AVC ao longo de sua vida.


Quais são os sintomas de um avc e como prevenir?

Suspeita-se de um AVC quando há início repentino de qualquer dos sintomas abaixo: Confusão mental; Dor de cabeça forte sem causa conhecida; Dificuldade de enxergar com um ou com ambos os olhos; Dificuldade de fala; Fraqueza ou dormência na face, braços ou pernas, especialmente se isso for em um lado do corpo e Dificuldade de caminhar, tontura ou perda de coordenação e equilíbrio.

Em relação aos fatores de risco e medidas para prevenção de uma AVC é importante dizer: pessoas do sexo masculino e a raça negra exibem maior tendência ao desenvolvimento de AVC, quem já teve um AVC ou outra doença vascular como o infarto ou arritmias cardíacas tem maior probabilidade de ter um evento, o hábito de fumar é fortemente relacionado com o risco para a doença, a hipertensão arterial mal controlada aumenta risco, o excesso de gordura no sangue (dislipidemias), especialmente de colesterol, leva à formação de placas nas paredes das artérias aumentando também o risco. A conscientização e a prevenção são as medidas mais importantes para nos proteger desta doença.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO