Mãe, você vai sentir saudade

Layane Óliver *


A frase que mais ouvi nos últimos anos é: “isso - alguma fase da maternidade - VAI PASSAR e você sentirá saudade”. Toda as vezes que alguém me falava isso eu pensava: “será mesmo que vou sentir saudade disso? ” Então conversei com algumas mães mais experientes e cheguei à seguinte conclusão:

Vai chegar o dia em que o seu filho não vai querer mais amamentar (só você e Deus sabem o quanto essa tarefa é difícil). A troca de olhares, o aconchego, aquele bafinho de leite e toda sintonia que a amamentação traz VAI PASSAR e você vai sentir saudade.

Vai chegar o dia em que seu filho não vai querer mais dividir a cama com você. Aqueles pezinhos no seu rosto, as mãozinhas no seu peito e acordar com aqueles olhinhos brilhando e te admirando... Tudo isso VAI PASSAR e você vai sentir saudade.

Vai chegar o dia em que a música infantil que você não aguenta mais ouvir VAI PASSAR e você vai sentir saudade. O som do silêncio vai predominar nos cômodos da sua casa e não vai ter ninguém chamando “mamãe” para brincar.

Acredita que você também vai sentir saudade das noites sem dormir? Elas não são fáceis (não mesmo), mas você levantava com a certeza de que o seu filho estava ali, bem pertinho, precisando do seu carinho e cuidado. Você vai sentir saudade.

Você vai sentir saudade das birras, das paredes rabiscadas, dos brinquedos no chão e da casa bagunçada. Vai sentir saudade das brincadeiras, das risadas, dos abraços e beijos carinhosos.

Como dizem por aí, criamos os filhos para o mundo, né? Uma hora eles crescem e voam.

Por isso, curta cada momento, os bons e os ruins também. Vai chegar o dia em que vai sobrar tempo para você, mas também vai sobrar amor e você sentirá saudade, porque tudo isso vai ter passado.

* Jornalista, mãe. Acompanhe no insta instagram.com/layanejornalista
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Gildázio Garcia Vitor 08 de Fevereiro, 2020 | 11:36
Layane, para você e todas as mães refletirem, envio-lhe este poema, escrito em 1914: "Ser mãe, no nosso tempo/ Quer dizer; sofrimento// Ser mãe quer dizer:/ Chorando, dar-/ Quer dizer: com alma e corpo/ Viver pra vida de um outro. - -/ Quando a tempestade varre o mar/ Rebaixando-se, ao céu se erguer/ E se dar./ Ser mãe quer dizer:/ Mil vezes morrer./ Quer dizer: quando miséria e morte/ Ceifarem, o perdão requerer/ Para os filhos e ao morrer/ Dar um sorriso que os reconforte.// Ser mãe, em qualquer tempo/ Quer dizer: sofrimento", por Bertold Brecht, que, também, escreveu: "Eu a amei da minha maneira, mas ela queria ser amada da sua" (1920-21).

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO