O menino da cabeça de papelão

Espetáculo mostra um menino que pensava, e os perigos que corria por pensar

Ricardo Alves/Divulgação/ACS ECCL


A peça mostra uma fábula sobre a intolerância e a diversidade
O “Festival de Férias Casa Laboratório” continua com a temporada de espetáculos e oficinas na sede do projeto, no segundo piso do Shopping Vale do Aço, com capacidade para até 300 pessoas.

Ao todo, mais de 10 atrações abertas ao público de todas as idades serão apresentadas em janeiro e fevereiro. Os espetáculos infantis são às 18h, e os adultos às 20h, com ingressos a preços populares (R$ 15).

Nesse sábado (25) e domingo (26), às 18h, o premiado espetáculo “O Menino da Cabeça de Papelão”, dirigido por João Carlos Cardoso e com cenografia e figurinos de Joab Sangi, vai ocupar o palco e encantar o público.

No elenco da montagem estão Walace Maciel, Diego Martins, Jessica Ribeiro e Luiz Gomes. A produção executiva é de Rodolfo Bello, Mel da Faria e Bia Paixão, e a cenotécnica é de Thiago Duarte.

Ricardo Alves/Divulgação/ACS ECCL


O velho sábio só tinha cabeças de papelão a oferecer a Antenor
O espetáculo narra à saga do menino Antenor e sua cabeça um tanto quanto desregulada, mas sempre cheia de ideias. Os reis daqueles continentes, entretanto, acreditavam que cabeças que pensam é um perigo.

Por isso, assim que os portadores das grandes cabeças nascem, é preciso regulá-las para funcionar de acordo com a moral e as leis de cada reino. Com sua cabeça incurável, Antenor não se encaixava em nenhum reino e acabava se metendo em muitas confusões.

Até que, um belo dia, cansado de peregrinar com sua cabeça incompreendida, o menino descobre um velho sábio, famoso por regular as cabeças pensantes. O homem oferece a ele uma cabeça nova, de papelão, a mais comum, igual à de todos. Mas será que Antenor vai aceitar ser igual a todos, ou entenderá que ser diferente é mais legal?

“O Menino da Cabeça de Papelão” é uma fábula sobre a intolerância e a diversidade de ideias e de pensamentos. Num reino onde pensar diferente é proibido e ter ideias é crime, o pequeno Antenor busca um lugar que aceite a sua cabeça de gênio. O espetáculo é inspirado na obra “O homem da cabeça de papelão”, do escritor e jornalista carioca João do Rio.

Ricardo Alves/Divulgação/ACS ECCL


Antenor tem dúvidas se aceita ou não ser uma cabeça não-pensante
O projeto Espaço Cultural Casa Laboratório é um ambiente cooperativo de promoção e formação artística em teatro, dança e música, um dos principais equipamentos culturais do Vale do Aço. O Casa Laboratório tem patrocínio da Usiminas e Consul, e comemora 12 anos de atividades em 2020.

SERVIÇO:
Sábado (25) e domingo (26) – 18h
“O Menino da Cabeça de Papelão”
Espaço Cultural Casa Laboratório
Segundo piso do Shopping Vale do Aço
Ingressos populares a R$ 15.
Mais informações: (31) 98662 -3522
E-mail: secretariacasalaboratorio@gmail.com
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO