Copasa afirma realizar estudos de novas fontes para melhoria do abastecimento

Ao longo dos últimos meses, moradores têm reclamado de falta d’água em diversos bairros no Vale do Aço

Bruna Lage


Situação hídrica instável afeta a rotina de moradores, que, em alguns casos, ficam sem água durante dias

A situação do abastecimento de água no Vale do Aço tem sido motivo de dor de cabeça para os usuários da região. O Diário do Aço recebe, diariamente por meio de seus perfis na internet e também por telefone, reclamações de moradores que chegaram a ficar dez dias sem o serviço. O gerente regional da Copasa em Ipatinga, Wilson Milani, informa que um estudo está sendo realizado para sanar o problema.

Milani pondera que em novembro de 2019 ocorreram períodos de instabilidade no fornecimento de energia elétrica na região, que ocasionaram sucessivas interrupções da produção de água no Sistema Integrado de Abastecimento de Água do Vale do Aço. O Sistema é responsável por abastecer a cidade de Ipatinga, além dos bairros Cidade Nova, Águas Claras, Bom Pastor, Jardim Vitória, Parque Caravelas e Residencial Bethânia, em Santana do Paraíso; Alphaville, Limoeiro, Recanto Verde e Recanto do Sossego, em Timóteo e o bairro Amaro Lanari, em Coronel Fabriciano.

“A Companhia está sempre empenhada em melhorar a qualidade da prestação de serviços para o município, de acordo com a regulamentação da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG). No entanto, é importante salientar que eventualmente manutenções pontuais e emergenciais são realizadas, o que pode afetar temporariamente o abastecimento de algumas regiões”, afirma. 

Questionado sobre o que tem feito para reverter esse cenário hídrico desfavorável, o gerente adianta que os técnicos realizam estudos de novas fontes de produção para melhoria do abastecimento dessas localidades, com a perfuração, equipagem e interligação de novos poços artesianos. “Ocorre que, na maioria dos casos, os poços perfurados se localizam em áreas particulares e dependem das negociações com os proprietários para indenização da área. Por isso, nem sempre são rápidas as ações para a operação dos novos poços”, frisa.

Dentre os casos noticiados mais recentes, moradores do bairro Bom Jesus, em Coronel Fabriciano, enviaram várias reclamações ao Diário do Aço. Eles relataram falta de água em suas residências desde o dia 19 de dezembro, situação que perdurou por mais de dez dias. No mês de novembro, parte da população do Cidade Nova foi às ruas protestar. A alegação é que as residências ficam até 15 dias sem água, em alguns trechos daquele local. A parte alta também sofre, principalmente no Bethânia. Esses são alguns relatos que chegaram ao conhecimento da reportagem, mas que englobam ainda a cidade de Timóteo e outras da região.

Rodízio
Um sistema de rodízio tem sido divulgado ao longo dos últimos tempos. Milani observa que nos últimos meses foi registrada uma redução do volume de água normalmente captado pela Copasa, nos poços utilizados pela empresa para o abastecimento dos bairros Industrial e Ipaba do Paraíso, em Santana do Paraíso. Para diminuir os impactos dessa estiagem, a companhia implantou, nesses bairros, um Plano de Racionamento. Os rodízios no abastecimento de água são realizados diariamente, conforme tabela divulgada no site da empresa e enviada aos veículos de imprensa da região.

“A Copasa ressalta que o uso consciente da água é importante em qualquer estação do ano. Atitudes simples, como lavar o carro com balde de água no lugar da mangueira; deixar a torneira fechada enquanto escova os dentes; tomar banhos rápidos; molhar plantas com regador e não lavar o passeio com água tratada fazem muita diferença. É importante frisar que em situações de racionamento devemos ficar atentos aos riscos oriundos do armazenamento inadequado de água nos domicílios, especialmente aqueles relacionados a doenças transmitidas por vetores que possuem fase do ciclo de reprodução associada à água”, aponta.


(Bruna Lage - Repórter)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Rubeniks 13 de janeiro, 2020 | 15:22
Tirem uma foto dos seus medidores no dia da leitura e confiram caso o leiturista não entregue a conta no ato da leitura .
Em Fabriciano várias leituras que vem pelo correio está com diferença de mais de 5.000 litros .
Fiquem espertos.
Limoeiro 12 de janeiro, 2020 | 21:59
Moro no bairro Limoeiro em Timóteo Hoje dia 12/01/2020 persiste a falta d'água no bairro, e quando tem é somente a partir das 22:00 hrs, o abastecimento é sempre realizado a noite, no período do dia não há água na torneira. Favor COPASA, dar mais atenção aos bairros citados na matéria acima pois esse problema já persiste há anos em nossa região!!! E aos moradores que ficam esbanjando água, vamos nos conscientizar!!! Obrigado.
Lucas 12 de janeiro, 2020 | 21:15
No Jardim Vitoria, é toda semana a falta d'água, vou ter que comprar outra caixa para armazenar, ou ficamos com risco de não ter água nem para beber.
Joanas 12 de janeiro, 2020 | 09:22
O desmatamento para construcao de predio que nao para queimadas excesso de calor populacao aumentando a agua vai faltar mesmo se nao comecar a agir agora vai ser tarde demais .as secas prolongadas ja estao acontecendo.a propria copasa nao faz nem investimento que possa melhorar os rios so tira agua e recebe dos consumidores pagamos taxa extra mas o dinheiro nao vai para o destino certo.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO