Dono de comércio é morto durante assalto em GV

Sócio da vítima conseguiu desarmar o criminoso que acabou baleado durante a tentativa de fuga

Fotos: Rede Alerta /GV


A perícia trabalha no corpo de Carlos Roberto que morreu baleado na cabeça

A tentativa de assalto a um comércio terminou com uma pessoa morta e um dos assaltantes baleado na madrugada desta quinta-feira (9). O crime aconteceu na avenida JK, no bairro São Cristóvão, em Governador Valadares. O comerciante Carlos Roberto Pereira da Cruz, de 41 anos, morreu ao ser baleado na cabeça. O acusado do roubo foi atingido com um tiro da própria arma tomada pelo sócio da vítima.

De acordo com as informações repassadas pela Polícia Militar dois bandidos chegaram ao bar e lanchonete por volta das 4h. Eles estavam com o rosto encoberto e um deles empunhava uma arma de fogo. Este assaltante armado apontou para a cabeça de um funcionário.

Neste momento Carlos Roberto entrou na situação e ficou na frente do criminoso. Houve empurrões entre eles quando o assaltante disparou a arma de fogo contra a vítima. Carlos, mesmo ferido, entrou em luta com o assaltante conseguindo tomar a arma do criminoso e também disparou.

O sócio do comerciante, B.R.R., de 31 anos, ao ouvir os disparos saiu da cozinha e deparou com a situação. O assaltante conseguiu fugir e Carlos tentou segui-lo, mas caiu na calçada já mortalmente ferido. Ele morreu antes da chegada do socorro. B.R. entrou em luta corporal com o outro assaltante, mas este segundo assaltante também correu.

Disparou a arma também

O sócio pegou a arma no chão e com ela disparou contra o criminoso em fuga, sem saber se conseguiu acertar o fugitivo. Um dos autores embarcou em um VW Polo de cor preta e o outro saiu correndo pela avenida sentido ao bairro Santa Rita, possivelmente ferido. Ele foi encontrado em um posto de combustíveis e encaminhado ao hospital em uma viatura da PM.

Wilson Rodrigues dos Santos Filho, de 31 anos, deu entrada no Hospital Regional com uma perfuração de tiro próximo a um dos olhos. Ele já possuiu passagens policiais e ficou internado sob escolta policial. A arma usada no assalto foi encontrada em um local onde B.R., assustado, a jogou depois da situação. A arma foi apreendida pelos PMs e o caso encaminhado à delegacia de Polícia Civil, onde um inquérito passa a apurar a dinâmica dos fatos narrados pela vítima. O corpo de Carlos foi removido ao IML de GV depois da perícia.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

MAIS FOTOS

Comentários

Santos 09 de Janeiro, 2020 | 17:53
Se vc leu a materia direito, o cidadao que morreu nao estava armado e nem o socio, caso estivesem, com certeza teriam matado o s bandidos.
Rdish 09 de Janeiro, 2020 | 14:22
É o outro lado que existe em armar a população. Reagir a assalto também aumenta o risco de morte para quem reage. Repare que a maioria das pessoas que tem sucesso em reagir a assaltos usando armas são policiais, que são TREINADOS para saber como agir em situações desse tipo.
Não sou contra a liberação da posse e porte de armas pela população, mas penso que a população deve ser VERDADEIRAMENTE esclarecida de que ter armas também tem riscos, responsabilidades e consequências. Não podem vender isso como solução contra o crime.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO