Calçada compartilhada começa a ser reconstruída

Iniciada a reconstrução e ampliação de calçada compartilhada de ciclistas e pedestres entre o Veneza II e Caravelas

Wilson Fumaça


Piso em concreto já está sendo removido para ser substituído por asfalto

A Administração municipal de Ipatinga deu início, na manhã desta quarta-feira (8), às obras de reconstrução e ampliação da calçada compartilhada de pedestres e ciclistas no canteiro central da avenida Londrina, no bairro Veneza II, desde a ligação com o Centro.

Em situação precária, com inúmeras irregularidades, a pista de concreto será removida e substituída por pavimentação asfáltica. Atualmente a pista vai apenas até o cruzamento com a rua Ilhéus.

A administração municipal também ampliará a extensão da pista até o viaduto Ronaldo de Souza, sob a BR-381, que divide o Veneza II com o bairro Caravelas.

Acompanhado de lideranças comunitárias e vereadores da base governista, o prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha, autorizou o início do trabalho, falando de sua importância:

“O ‘Nova Ipatinga’ está transformando a cidade em um canteiro de obras. Estamos com importantes frentes de serviços em vários bairros da cidade e vamos alcançar todas as regiões. Aqui na avenida Londrina, dentro da nossa política de melhoria da mobilidade urbana, pensando não só nos motoristas mas também nos ciclistas e pedestres, vamos recuperar 1.059 metros de ciclovia e construir mais uma extensão de 1.783 metros. São mais de 2,5 quilômetros”, destacou o prefeito.

Ainda na ocasião, o prefeito enumerou uma série de realizações do governo, especialmente na área de saúde, “apesar da ilegal retenção de recursos por parte do governo do Estado, que sacrifica o orçamento do município com uma dívida milionária”.

Grimaldo Ferreira, cadeirante, usuário da ciclovia, comemorou a iniciativa da Administração municipal em realizar a obra. “Nós que somos cadeirantes sofremos muito com as calçadas e ciclovias com buracos. O prefeito está de parabéns. É um gesto de preocupação com quem precisa”, comentou.

Morador do bairro Veneza há mais de 30 anos, o líder comunitário Aloés Horst testemunha que as condições precárias da via se tornaram um risco para os usuários. “Ocorre que as pessoas, para se desviarem dos buracos, muitas vezes acabam indo para a rua, e isso gera o risco de alguém ser atropelado. O prefeito Nardyello está fazendo uma obra esperada pela comunidade e isso é muito importante”, disse.

Investimento

Os recursos para execução dessas obras são provenientes do Finisa - Programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento. Foram captados pela atual gestão do município em condições especiais, junto à Caixa Econômica Federal, sendo parte de um total de R$ 73 milhões separados para viabilização do programa municipal ‘Nova Ipatinga’.

Saiba a diferença entre ciclovia e calçada compartilhada

Do ponto de vista técnico, o que existe nos canteiros centrais das principais avenidas de Ipatinga são calçadas compartilhas de ciclistas e pedestres, embora sejam equivocadamente chamadas de ciclovias. Na prática, não existem ciclovias em nenhuma cidade do Vale do Aço. Uma ciclovia é uma faixa de via pública cujo uso é exclusivo para bicicletas e as pistas são segregadas dos demais usuários.


Calçada compartilhada começa a ser reconstruída
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Sincero 09 de Janeiro, 2020 | 19:05
Enquanto isso, tantos outros lugares a população sofre sem AGUA TRATADA, ESGOTO e ENERGIA, vive na base do improviso, tal como lá no chácaras Madalena no loteamento do caliu
Cidadão 08 de Janeiro, 2020 | 17:14
Eu gostaria de agradecer o atual prefeito por estar fazendo essa obra. A pista estava toda quebrada e cheia de buracos. Obra muito aguardada e necessária. Parabéns a atual administração.
Boneca 08 de Janeiro, 2020 | 16:11
Esta ciclovia passou da hora de reformada, estava toda quebrada, lugares estavam ja soltos. Parabens por olharem também por nos pedestres.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO