Três suspeitos de terem torturado e baleado casal de militares são mortos em confronto com PM

Chiara Ribeiro


Suspeitos foram cercados, reagiram à aproximação da PM e acabaram mortos

Três homens suspeitos de terem torturado e baleado um casal de militares durante assalto em Igarapé, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram mortos após troca de tiros com policiais da Ronda Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), que faziam rastreamento na cidade.

Eles foram socorridos e levados a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ibirité, mas não resistiram e morreram. Outras duas pessoas foram presas suspeitas de terem participado do assalto aos militares.

As vítimas são o tenente-coronel reformado da Polícia Militar, Alex de Melo, de 50 anos, e a cabo da ativa, Raiana Rodrigues Figueiredo, de 34, que foram torturados e baleados na cabeça durante um assalto em um sítio em Igarapé. Eles foram encaminhados em estado grave para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte.

Na fuga, os criminosos roubaram o carro do tenente-coronel. O veículo foi encontrado posteriormente queimado. A Polícia Militar montou uma força-tarefa numa caçada aos criminosos.

Conforme o comando da PM ao apurar o caso policiais receberam informações de um primeiro suspeito de envolvimento no crime, que estaria em Ibirité. Esse homem foi localizado e se entregou.

A partir da prisão do primeiro envolvido policiais chegaram aos demais envolvidos, que ao se verem cercados, decidiram reagir a tiros. Entre eles estava um homem armado com um fuzil, que também tentou reagir, mas se entregou. Outros três, entretanto, conforme o comando da polícia, mantiveram a resistência à prisão, que terminou com todos eles mortos (Com informações de Renato Rios Neto/Rádio Itatiaia)

Entenda o caso

A cabo Raiana Rodrigues Figueiredo, de 34 anos, e o coronel reformado Alex de Melo, estavam no sítio deles, no conjunto residencial Ouro Verde, em Igarapé, quando foram surpreendidos por bandidos, na madrugada de segunda-feira (6). Conforme a Polícia Militar (PM), os criminosos espancaram o casal e fugiram no carro da cabo. O veículo foi encontrado posteriormente carbonizado.

A princípio, a suspeita era de que se tratava de tentativa de latrocínio, roubo seguido de morte, mas nenhum bem foi levado. Outra hipótese é de perseguição ou vingança, já que as vítimas são policiais.

Raiana levou um tiro na cabeça e teve fraturas e escoriações. Ela passou por duas cirurgias. Alex foi baleado duas vezes no rosto, sendo uma no olho direito, também sofreu fraturas e escoriações.


Veículo do casal foi encontrado incendiado em uma estrada rural
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Fernando 07 de janeiro, 2020 | 12:17
"Confronto"

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO