10 de dezembro: Dia do Palhaço

Um artista especial que leva alegria e faz rir desde a Idade Média

Trazer alegria e diversão são os atributos principais de um palhaço. Essa personagem presente até hoje nas brincadeiras das crianças tem um dia só para ela, comemorado em 10 de dezembro.

A origem do palhaço se confunde com a história do circo, mas quando surgiu o primeiro palhaço ninguém sabe ao certo. Os pesquisadores afirmam que ele teve origem na Idade Média, na qual algumas pessoas tinham a função de ser o “bobo da corte” para fazer o rei e sua ‘entourage’ se divertir.

Os “bobos da corte” usavam máscaras divertidas e diferentes, vestiam roupas largas e calçavam sapatos engraçados. Grupos teatrais organizavam os espetáculos. Além das piadas, havia sempre um pouco de ironia e, às vezes, situações de romantismo nas apresentações.

Divulgação


O palhaço faz rir desde a Idade Média
Muitos palhaços faziam o papel de menestrel, o artista da corte ou ambulante que, a serviço dos senhores feudais, recitava e cantava poemas em versos com acompanhamento instrumental. O menestrel não compunha seus versos, só os declamava, pois fazer os versos era função do trovador.

O palhaço da forma como o conhecemos hoje, ao que tudo indica, surgiu em 1758, na Inglaterra, através de Philip Astley, oficial da cavalaria que organizava apresentações com homens em pé, no dorso do cavalo. Astley criou espetáculos em locais fechados e incluiu palhaços e equilibristas.

Após um convite para apresentar-se para o rei da França, ele abriu uma filial em Paris. Pouco mais tarde, a ideia se expande para países como a Suécia, Espanha, Alemanha e Rússia. Nas Américas, a entrada do circo e dos palhaços teve início dos Estados Unidos, com espetáculos itinerantes pelas principais cidades.

Tradição
Segundo a tradição circense, a única maneira de ser palhaço é “nascer com um certo dom”. Esta explicação se dá por causa da história do primeiro palhaço. Contam que, um dia, em algum lugar do mundo, acontecia um espetáculo de circo que estava atrasado, porque um dos artistas havia faltado. A plateia já gritava ansiosa.

Para aliviar a tensão, o dono do circo jogou lá no meio do picadeiro um garoto, filho de um dos artistas. A plateia toda em silêncio, e o menino lá, sem saber o que fazer. De repente, meio atordoado e ao tentar dar meia volta para se esconder, ele acabou tropeçando e caindo de cara no chão.

A plateia foi ao delírio em suas gargalhadas, principalmente ao ver o rosto do menino com o nariz absurdamente vermelho. E é por isso que, desde então, o nariz do palhaço é vermelho.

Dizem ainda que, quando o circense quer saber se seu filho é palhaço, ele o coloca no meio do picadeiro para ver como ele se sai. Se ele arranca risos da plateia, é palhaço, se não, vai para outros caminhos do circo.

Embora nem todos os palhaços possam ser facilmente identificáveis através da aparência, eles frequentemente aparecem pesadamente maquiados e fantasiados. Tipicamente, usam sapatos grandes, roupas largas ou em tons berrantes, com cores brilhantes e em padrões não usuais, ou cheias de remendos.

Também costumam usar chapéus alegóricos, perucas ou penteados com estilos ou cores incomuns, além de um falso nariz redondo, quase sempre de cor vermelha, esta última sendo uma característica intimamente associada ao conceito.

Os palhaços costumam evitar o uso de maquiagens azuis, pois é considerado que a pintura desta cor traz má sorte. Também é tradição dos palhaços não desejar boa sorte a outros palhaços. Dizer "boa sorte" a um palhaço é considerado como sinal de "olho grande", ou má sorte. Em vez disso, eles utilizam expressões como "quebre a perna" (break a leg, em inglês).
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO