Barragem da Vale é paralisada na mina de Brucutu

Divulgação Vale


Barragem Laranjeira já havia sido paralisada, por causa de riscos

A atividade da barragem Laranjeiras, da Mina Brucutu, em São Gonçalo do Rio Abaixo, voltou a ser suspensa.

A barragem foi considera nível 1 de emergência, nessa segunda feira. A estrutura faz parte do complexo da Mina de Brucutu, que pertence à Vale, considerada hoje a maior a céu aberto em Minas Gerais.

Em nota, a mineradora informou que avaliações geotécnicas estão sendo feitas na barragem e por isso a paralisação foi determinada.

O protocolo de emergência foi elevado para o nível 1, que não requer a retirada de moradores das áreas de risco e nem o toque de sirenes.

O nível 1 significa estado de prontidão, indicando situação adversa na estrutura e controlável pela empresa.

A Vale não informou quais seriam os problemas que causaram a interrupção do lançamento de rejeitos na barragem Laranjeiras.

A mina representa 9% da produção nacional da mineradora. Segundo a Vale, a operação a úmido é aquela que utiliza água no processamento do minério de ferro e, consequentemente, gera rejeito que é disposto em barragem.

Essa barragem havia sido paralisada pela Justiça em fevereiro junto com outras sete após ação civil pública movida pelo Ministério Público de Minas Gerais, que corre em segredo de Justiça.

Mina de Brucutu, a maior em operação em MG

A mineradora havia conseguido voltar a operar, mas houve nova suspensão no dia seis de maio.

Em junho, a administração de São Gonçalo do Rio Abaixo alegou ao Superior Tribunal de Justiça que a paralisação de qualquer estrutura que impossibilite a operação da mina atinge a economia da cidade. Com isso, a Vale conseguiu o direito de retomar as atividades.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO