Relembrando o Gordo

Quando Jô Soares deixou a Globo para fazer humor no concorrente SBT

Em 1988, o empresário e apresentador Silvio Santos investiu pesado e tirou o humorista Jô Soares da Globo, numa transação considerada milionária para a época. Nos idos de 1980, a Rede Record não apresentava ameaça alguma ao SBT. Silvio Santos, inclusive, detinha grande parte das ações da emissora, que futuramente venderia ao bispo Edir Macedo.

Ou seja, o “Dono do Baú” queria mesmo era desbancar a então considerada Vênus Platinada. Seu sonho era chegar ao primeiro lugar na guerra da audiência, mas isto nunca chegou a se concretizar.

Arquivo GB Imagem


Jô Soares e a equipe de Veja o Gordo, em gravação do programa em 1988
O primeiro programa solo de Jô Soares, o “Viva o Gordo”, estreou na telinha da Globo em 1981 e o sucesso foi imediato. Os principais personagens interpretados pelo humorista, e que ainda estão na memória do povo, eram o Capitão Gay, Zé Galera, Vovó Nana, Pai Coruja, Dalva e muitos outros que faziam a alegria dos telespectadores.

Parte do conteúdo abordado nas histórias encenadas na telinha eram críticas implícitas ao governo militar da época. O título do programa foi retirado de uma peça de teatro de Jô Soares, “Viva o Gordo e Abaixo o Regime”, fazendo um trocadilho com a palavra regime, uma vez que o Brasil estava entrando na fase final da ditadura.

Com a transferência de Jô Soares para o SBT, em 1988, entrava no ar o “Veja o Gordo”, uma espécie de continuação de “Viva o Gordo”, da Rede Globo. O programa também contava com artistas convidados e personagens representados pelo próprio Jô.

A abertura de “Veja o Gordo” mostrava Jô Soares interagindo com várias personalidades, a maioria políticos. Ao fim, Jô fazia menção ao fato de ter se mudado para a então TVS/SBT.

Ele ficava "ao fundo" de Mário Covas, senador da época, e apontava para um microfone da Globo e fazia um sinal negativo. Do lado oposto, ele apontava para um microfone da TVS/SBT e fazia um sinal positivo. No final, Covas, supostamente, ria do que estaria acontecendo "atrás" dele.

Tanto o “Viva o Gordo” quanto o “Veja o Gordo” foram programas pioneiros que valorizavam a comédia e realmente faziam o povo rir, esquecendo um pouco das “amarguras” que o Brasil passava nos agora saudosos anos 1980.
“Veja o Gordo” ficou no ar até 1990, quando Jô Soares estreou o talk-show “Jô Soares Onze e Meia”, um programa de entrevistas, também no SBT.

Após deixar o SBT, no apagar das luzes de 1999, Jô Soares voltou para a Globo e estreou, em abriu de 2000, o Programa do Jô, que ficou no ar até dezembro de 2016.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO