Minas Gerais alcançou recorde em captação de órgãos em 2019

Segundo o diretor-geral do MG Transplantes, Omar Lopes Cançado Júnior, ações estratégicas foram importantes para obtenção de números positivos

Arquivo / MG Transplantes


O Estado teve um incremento de 40% em relação ao mesmo período de 2018 (de janeiro a outubro)

O Estado de Minas Gerais, por meio do MG Transplantes, recebeu, nesta semana, o prêmio honorário concedido pelo Ministério da Saúde por alcançar a maior taxa de crescimento de captação de órgãos em 2019 no Brasil. O Estado teve um incremento de 40% em relação ao mesmo período de 2018 (de janeiro a outubro). A entrega da placa referente à premiação foi realizada durante o I Fórum Internacional de Coordenação de Transplantes do Brasil, sediado em São José, na Grande Florianópolis, em Santa Catarina.

De acordo com o governador Romeu Zema, o reconhecimento do trabalho do MG Transplantes tem relação direta com a determinação de governo para o compartilhamento das aeronaves do Governo do Estado. Com isso, procedimentos têm acontecido com mais frequência, com captações de órgãos em mais regiões mineiras e benefício para mais receptores de órgãos.

Segundo o diretor-geral do MG Transplantes, Omar Lopes Cançado Júnior, ações estratégicas foram importantes para obtenção de números positivos. “Tivemos cursos de capacitação, conseguimos melhorar nossa comunicação com as famílias de doadores e tivemos uma campanha que trouxe um olhar muito sensível para a questão. São fatores que ajudam a explicar a melhoria de nossos números”, destaca.

Fila de espera
Atualmente, a recusa familiar é a principal causa da não doação de órgãos no país. Segundo dados publicados em junho deste ano pela Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), somente em Minas Gerais a taxa de recusa foi de 37%. Na outra ponta, de acordo com o MG Transplantes, 4.002 pacientes se encontram atualmente na lista de espera por um transplante no Estado, sendo que desses 2.824 aguardam por um transplante de rim, 1.309 por córnea, rim/pâncreas, 62 por medula, 22 por coração e 2 por pâncreas. De janeiro a outubro foram realizados 2.006 transplantes no Estado.

Com o intuito de diminuir a fila de espera e potencializar o número de doações, a Campanha de Conscientização para Doação de Órgãos e Tecidos, iniciada em setembro, se mantém durante todo o ano, com ações, uma vez que o processo de conscientização deve ser constante. Com a chamada: “Fale com a sua família. Doe órgãos!”, o foco é a comunicação entre o doador e seus familiares, já que serão esses últimos, de fato, os portadores da palavra final sobre autorizar ou não a doação, no momento oportuno.

Plano Estadual
Em 2019, foi publicado o novo Plano Estadual de Doação e Transplantes de Órgãos e Tecidos de Minas Gerais. O objetivo do documento é reformular a política estadual de transplantes e, com isso, aumentar o número de doações de órgãos e tecidos, assim como o número de transplantes efetivamente realizados no estado de Minas Gerais.

O novo plano propõe a implantação até 2023 dos transplantes de pulmão e transplantes cardiopediátrico e hepatopediátrico; a realização de capacitações para os profissionais que atuam na área da procura, captação e transplantes; além de aprimorar o acompanhamento com metas e indicadores para os serviços de procura e captação de órgãos. Mais informações no site www.saude.mg.gov.br/doeorgaos.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO