Nunca Fui Santa na estrada

Espetáculo de humor abre projeto de circulação pelo Brasil

O ator Othon Valgas, de Santinhas Do Pau Oco, já está com o pé na estrada para mais uma turnê. Desta vez a comédia “Nunca Fui Santa” circulará pelo Rio de Janeiro, mais precisamente pela Região dos Lagos, onde vai estrear neste fim de semana.

A turnê do espetáculo começa pela cidade de São Pedro da Aldeia, no sábado (9), e depois irá para Cabo Frio, Rio das Ostras e Paraty. A agenda inclui ainda apresentações no Teatro Candido Mendes, no Rio de Janeiro, e em Curitiba, capital do Paraná.

Mário Márcio/Divulgação


O ator Othon Valgas dá vida à hilária Madre Teresa
Na trama, Othon Valgas interpreta a madre Tereza, personagem do popular espetáculo “Santinhas do Pau Oco”. O ator e diretor ipatinguense iniciou a sua formação artística com nomes consagrados do teatro no Vale do Aço, como Darci Di Mônaco e Antônio Guarnieri.

Já produziu e dirigiu vários espetáculos, como “Santinhas do Pau Oco – Uma Santa Comédia” e “O Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna. Trabalhou com a diretora Cininha de Paula no espetáculo “A Ópera dos Horrores”, de Sérgio Brito; e com a crítica teatral Barbara Heliodora e o diretor Duda Ribeiro.

À frente da Cia. Corpo de Prova, produziu a “Conferência de Shakespeare”, as comédias “Nonsense”, do americano Dan Goggin, “A Megera Domada” e “O Mercador de Veneza”, de William Shakespeare.

Teatro dos Outros
Em Londres, Othon dirigiu o filme “Tia Teteca”, curta-metragem premiado do anglo-brasileiro Andersen Malta, que também assina a peça “Nunca Fui Santa” (Holy Moly). Em viagens pela Europa estudando o teatro dos outros, Othon decidiu trabalhar com Andersen na tradução de Holy Moly, adaptando o texto para o Brasil, porém mantendo a cor, o cheiro e o humor britânico.

A peça homenageia o legado de freiras importantes da história, como Juana Inês de la Cruz, Hildegard of Bingen, Mary Marguerite d’Youville e outras. “A peça foi escrita pensando nas meninas que querem ser freiras. A Madre Superiora dá uma aula de catecismo supletivo, mas sua pedagogia é um tanto quanto ultrapassada”, diz Othon, prometendo gargalhada do começo ao fim.

SERVIÇO:
“Nunca fui Santa” (Holy Moly)
Teatro Átila Costa
São Pedro da Aldeia (RJ)
Sábado (9) - 21h
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO