Conselheiro da Usiminas cobra providências da Cemig

Apagão elétrico causou transtornos em Ipatinga e atingiu a Usiminas

Wôlmer Ezequiel


Luiz Carlos destacou necessidade de providências


O representante do Conselho Administrativo da Usiminas, Luiz Carlos Miranda, se mostrou preocupado com as interrupções no fornecimento de energia e cobrou providências da Cemig. Procurado pelo Diário do Aço, ele informou que, em razão dos problemas com a energia elétrica, ao longo dos últimos dias, a siderúrgica contabilizou R$ 30 milhões de prejuízo.

“É preocupante. A Cemig precisa tomar providências o quanto antes. O que se deixa de arrecadar é irrecuperável. Praticamente três paradas ocorreram ao longo dos últimos 15 dias. A empresa perde, mas perde também o município, que deixa de arrecadar impostos, perde também o trabalhador, além das instabilidades que se cria. Se fosse um incidente isolado, mas não, foram vários".

"O que está acontecendo? e a segurança, como fica? Isso vira uma tragédia dentro da usina e a culpa não é de ninguém da Usiminas. Eu como representante do Conselho estou manifestando e digo que a Cemig precisa corrigir imediatamente. A Usiminas e o Vale do Aço não podem ser prejudicados”, cobrou.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO