Alunos de Coronel Fabriciano visitam cidade de Ferros

Os alunos conheceram a história da cidade onde nasceu Dona Angélica Rosa da Silveira, ferrense que inspirou o nome do Colégio Angélica

Divulgação


Os alunos conheceram a história da cidade onde nasceu Dona Angélica Rosa da Silveira, ferrense que inspirou o nome do Colégio Angélica

As turmas do 6º, 7º e 8º anos (Ensino Fundamental II) do Colégio Angélica, em Coronel Fabriciano, realizaram, no dia 1º de novembro, sexta-feira passada, uma visita acadêmica à centenária cidade de Ferros. O motivo principal da visita foi buscar uma resposta para a pergunta que encabeçou o projeto escolar: Por que Angélica no nome da escola?

Os alunos conheceram a história da cidade onde nasceu Dona Angélica Rosa da Silveira, ferrense que inspirou o nome do Colégio Angélica. A comitiva da escola foi recebida pelo prefeito da cidade, Raimundo Menezes de Carvalho Filho, que acompanhou todo o trabalho.

De volta a Coronel Fabriciano, haverá uma aula especial preparada pelos alunos – Aula Aberta - com exposição de fotos, maquetes e um jornal para os familiares dos estudantes e convidados fabricianenses, para conhecerem a história de Ferros e de Dª Angélica.

A coordenadora pedagógica, Sandra Dutra, juntamente com professores e outros colaboradores do Colégio, acompanharam os alunos nessa visita. Em uma das primeiras atividades do dia, os alunos se encantaram com a Igreja Matriz de Ferros, da Paróquia Nossa Senhora Sant'Ana. As turmas também conheceram a Câmara Municipal de Ferros e a Biblioteca Municipal Maria José da Silveira, fundada em 1975. O nome da biblioteca é uma homenagem à primeira filha de Dª Angélica Rosa da Silveira. Também conheceram Eduarda Soares de Carvalho, tataraneta de Dª Angélica Rosa.

Outra visita foi à Prefeitura. Na oportunidade, o prefeito, Raimundo Menezes de Carvalho Filho, presenteou a escola com o livro “Assim se conta em Ferros”, uma coletânea, recém-lançada, de contos de antigos moradores da cidade. Com um misto de simplicidade e imponência, a belíssima Igreja Nossa Senhora do Rosário atraiu a atenção dos alunos. Eles também passaram pela famosa Ponte Pênsil, popularmente conhecida como Ponte de Amare. As turmas também visitaram a sede da Secretaria Municipal de Educação, onde, no passado, funcionou uma cadeia.

A sede do CESEC Professor Júlio de Carvalho Soares, onde a neta de Dª Angélica Rosa, Tereza Cristina Almeida Silveira, é a atual diretora, foi outro ponto de visitação dos alunos. Visivelmente emocionada, Tereza agradeceu o carinho da escola e lembrou do legado da avó, Dª Angélica. Os alunos também visitaram o túmulo onde está enterrada Dª Angélica e outros de seus familiares.

No final do passeio, uma grande surpresa cativou a comitiva do Colégio. A Prefeitura de Ferros trouxe de Belo Horizonte a simpática Terezinha Soares Silva (única filha viva de Dª Angélica Rosa da Silveira) e seus familiares para prestigiar o Colégio Angélica. A emoção foi enorme de ambas as partes. O nome da escola, que é inspirado em Dª Angélica, é apenas um dos elos que une a história da escola com essa família. Para fechar com chave de ouro, os alunos do Colégio também assistiram a uma série de apresentações culturais e artísticas no Centro Cultural de Ferros.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO