3,5 milhões de alunos reprovaram ou abandonaram estudos no Brasil, diz pesquisa

Dados foram reunidos em uma pesquisa da Unicef

Divulgação


O atraso escolar é ainda mais presente na população indígena, com 41% dos seus alunos matriculados enfrentando a situação

Um dos grandes planos do Brasil para o futuro é melhorar os seus níveis de educação. Apesar dos esforços empregados, ainda é alto o número de estudantes reprovados ou que abandonaram os estudos: cerca de 3,5 milhões. Os dados são de uma pesquisa da Unicef e do Instituto Claro referente ao ano de 2018. O levantamento se baseou nas informações do Censo Escolar 2018, do Ministério da Educação.

Foram registradas 48,5 milhões de matrículas na Educação Básica em 2018, distribuídas entre a educação infantil, ensino fundamental e médio. Desse total, 2,6 milhões de alunos foram reprovados, sendo 1,2 milhão pretos e pardos. Outro fator que chama atenção é a diferença entre idade-série. Isso porque 1 em cada 5 estudantes de escolas públicas tem dois ou mais anos de atraso escolar.

O atraso escolar é ainda mais presente na população indígena, com 41% dos seus alunos matriculados enfrentando a situação. O abandono da escola também chegou a números alarmantes. Ao menos 15 mil crianças e estudantes indígenas abandonaram os estudos. Situação semelhante é verificada nos alunos com deficiência. São mais de 383 mil estudantes com atraso nos estudos, cerca de 48,9% dos matriculados.

Ainda segundo o levantamento, o ensino médio é a etapa com o maior número de discentes que desistiram da escola. São mais de 460 mil alunos em situação de abandono escolar, o que representa 7% do total de matrículas nesse nível.

(Fonte: E+B Educação | Gabriele Silva)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO