Especialista garante forma segura de se consumir peixes em meio à polêmica do óleo nas praias

Desde o final de agosto, 9 estados já foram afetados pelas manchas

Divulgação


As preocupações ambientais chegaram à mesa dos brasileiros

O balanço mais recente do governo, divulgado na última segunda-feira (28), não traz boas notícias: as manchas de petróleo nas praias já atingiram, pelo menos, 254 localidades em 92 municípios de 9 estados desde o final de agosto. O fenômeno não tem só causado impactos nas cidades litorâneas, como afetado a vida de animais marinhos.

As preocupações ambientais chegaram à mesa dos brasileiros. Muitos estão temerosos em consumir frutos do mar. Empresas do setor afirmam que há formas seguras de manter o consumo destes produtos. Umas delas é optando por pescados com o S.I.F, selo do sistema de controle do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil que atesta a qualidade na produção de alimentos de origem animal.

De acordo com Tércio Farias, fundador da Villa Pescados, empresa localizada no Mercado do Rio Vermelho (Ceasinha), em Salvador, alguns produtos locais podem ter tido contato com o óleo e, por isso, devem ser evitados. “Nossos produtos vêm do Amapá, são congelados e possuem o selo de inspeção federal. Com isso, temos uma garantia e uma seguridade para os nossos clientes. Sabemos da procedência do que vendemos”, afirma.

Divulgação


Márcia Farias - Nutricionista e Chefe de Cozinha da Villa Pescados
Além da loja física, a Villa Pescados também atende restaurantes, hotéis e pousadas da capital baiana. “Temos sentido a preocupação da população. Muitos donos de restaurantes têm pedido essa certificação e nós já nos posicionamos. O que não mudou tanto foi a relação com os clientes da loja física porque eles já conhecem os nossos produtos”, garante Farias.

A nutricionista e chefe de cozinha Márcia Farias também pede cautela na hora do consumo de peixes e derivados. “São muitas informações que estão sendo passadas. Por isso, é importante evitar os produtos locais e que não tenham procedência. É necessário comprar em lojas que tenham o S.I.F, que traz uma garantia, tanto a nível nacional como internacional”, conclui.

(Fonte: Bárbara Maria – Agência Educa Mais Brasil)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO