Homem confessa que matou e enterrou a esposa na área de serviço, em Valadares

O corpo da mulher estava enterrado na área de serviço de sua casa, sob um piso de cerâmica

Divulgação PCMG


Corpo de mulher foi encontrado sepultado na área de serviço de casa

A Delegacia Especializada em Crimes Contra a Vida de Governador Valadares localizou na quinta-feira (17), o corpo de Michele Rosa de Jesus, de 36 anos. Ela estava desaparecida desde o dia 28 de agosto e o desenrolar do caso deu-se de forma surpreendente.

O corpo da mulher estava enterrado na área de serviço de sua casa, sob um piso de cerâmica. O marido da vítima, Daniel de Jesus, de 35 anos, é o acusado da morte e ocultação do cadáver. Preso, Daniel confessou a autoria do crime e vai responder por feminicídio e ocultação de cadáver. Um irmão de Daniel, um jovem de 27 anos e a sobrinha, de 17 anos, também são investigados como suspeitos de participação na trama macabra.

As investigações apontam que o homem passou a ter um relacionamento amoroso com uma sobrinha. A mulher dele descobriu e não aceitou a traição. Durante uma discussão, Daniel acabou matando a mulher. Enterrou o corpo na área de serviço, colocou concreto por cima e cerâmica, para evitar a localização do cadáver.

Álbum pessoal


Michele Rosa de Jesus era procurada pela família desde agosto
Já, de posse de algumas informações, a Polícia Civil conseguiu um mandado de prisão, que foi cumprido na quinta-feira (17).

No local, policiais encontraram Daniel, quatro filhos do casal e uma sobrinha. O suspeito confessou o crime e foi preso. Os filhos do casal foram levados para a casa dos avós e, em seguida o piso da área de serviço foi quebrado. O corpo foi desenterrado e levado para o Instituto Médico-Legal (IML). A PC informou que as investigações não estão encerradas, pois há necessidade de estabelecer se houve participação de mais pessoas no crime.

Responsável pelo caso, a delegada Lilian de Calaes informou que o caso começou a ser desvendado quando no dia 20 de setembro recebeu reclamações dos familiares de Michele Rosa de Jesus, sobre o seu desaparecimento.

"A polícia descobriu que o autor mantinha relação com a sobrinha e que, por causa disso, o casal tinha discussões frequentes. Acreditamos que ele tenha forjado para os filhos e familiares informações sobre o desaparecimento da mulher", esclareceu a delegada.

Para sustentar a farsa, o autor confesso do crime utilizava as redes sociais da vítima e se passava por ela para fingir que estava tudo bem. (Com informações da PCMG).
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO