Festival Bon Odori será realizado sábado, em Ipatinga

Com entrada gratuita e venda de sushi antecipada, o evento ocorre na sede da escola de artes marciais Dojo Minamoto Aikido, na rua Suíça, 36, no bairro Cariru, a partir das 19h

NSAS/Divulgação


Festividade é realizada desde a década de 1970, com a chegada dos japoneses da Nippon Steel Corporation para a construção da Usiminas

Os quimonos de cores fortes são embalados pela dança de movimentos firmes e discretos. Ao som dos tambores taiko, as mulheres em roda abanam leques e tecidos no ritmo alegre das músicas tradicionais. São mais de 600 anos de história que rondam o Bon Odori - a maior festividade do verão japonês. Quem estiver em Ipatinga no próximo sábado (19) pode participar de mais uma edição da festa. Com entrada gratuita e venda de sushi antecipada, o evento ocorre na sede da escola de artes marciais Dojo Minamoto Aikido, na rua Suíça, 36, no bairro Cariru, a partir das 19h.

A escolha do horário do festival tem um motivo. A tradição budista acredita que os espíritos de seus ancestrais voltam para suas casas depois do pôr do sol para se reunir com as suas famílias durante o Bon. O termo Odori refere-se à parte festiva que inclui a tradicional dança. Promovido pela Associação Nipo Brasileira de Ipatinga (ANBI), o Bon Odori é celebrado desde a fundação da entidade em 1968. Durante anos, foi realizado entre os prédios do bairro Cariru, onde viviam os expatriados e até hoje faz parte do calendário oficial da cidade.

São várias gerações de ipatinguenses que tiveram a oportunidade de participar do Bon Odori - trazido pelos japoneses da Nippon Steel Corporation que imigraram para o Leste de Minas Gerais para contribuir com a construção da Usiminas. Como é o caso do brasileiro Antônio de Pádua Costa, o Toninho, que recorda do festival ainda nos anos de 1970. “Eram lindas, eles se vestiam com aquelas roupas típicas. Papai levava a gente, achávamos tudo muito diferente, mas muito bonito”, conta.

O legado cultural japonês que ainda permeia as esquinas de Ipatinga está nos nomes das ruas, avenidas e prédios - diferenciando a cidade mineira das demais. A ousada união entre brasileiros e japoneses pelo objetivo comum de construir uma usina siderúrgica foi uma decisão histórica e carregada de simbolismo para a Nippon Steel Corporation. Cerca de 500 famílias foram enviadas do Japão rumo ao que seria o Vale do Aço - no primeiro investimento da empresa em um país estrangeiro depois da 2ª Guerra Mundial.

A tradição secular japonesa do Bon Odori se enraizou em solo mineiro e tem na cidade de Ipatinga o símbolo exponencial da união entre as duas culturas no Estado. Em 2019, o festival lembra os 111 anos da imigração japonesa no Brasil e a chegada da nova era imperial do Japão, proclamada no início do ano cujo significado une dois ideogramas: esplendor e paz.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO