Bodas de Ouro da FSFX

José Célio Alvarenga *

“A FSFX e a sua política assistencial, de Saúde e de Educação são imprescindíveis para o Vale do Aço e para o estado”

“A trajetória só foi possível graças ao trabalho de milhares de pessoas que se dedicaram à instituição”

A Fundação São Francisco Xavier fará 50 anos de existência. Dada a importância do seu trabalho nas áreas de filantropia, educação e saúde, particularmente no Vale do Aço, solicitei Voto de Congratulação à instituição e, por minha solicitação, a Assembleia Legislativa realizará uma Reunião Especial para homenageá-la. Ao fundamentar os requerimentos apresentados, tive o prazer de conhecer melhor a Fundação São Francisco Xavier, que nasceu inspirada nos ensinamentos de São Francisco Xavier e preserva valores jesuítas importantes, como: o amparo aos mais necessitados, a transformação social, a disciplina, a austeridade e a eficiência.

Criada em 22 de dezembro de 1969, a FSFX foi constituída como braço da Usiminas nas áreas de saúde e educação e sua história se confunde com a nossa história. Sua capacidade de planejamento, sua qualidade de gestão e a diversificação integrada de atividades fizeram com que ela extrapolasse os limites regionais e do Estado.

Tendo Luís Márcio Araújo Ramos como diretor executivo desde 2010, a fundação conta com 5.900 empregados, diretos e indiretos, 1.256 fornecedores e um patrimônio líquido da ordem de 700 milhões de reais. Em 2018, em plena crise, faturou 1 bilhão de reais e nos últimos cinco anos investiu 168 milhões de reais em reformas e modernização de suas instalações.

A FSFX é composta por sete unidades presentes em cinco estados da Federação, que são: o Colégio São Francisco Xavier, o Centro de Odontologia Integrada, a VITA – Soluções em Saúde Ocupacional, o Hospital Municipal Carlos Chagas, o Hospital de Cubatão, o Hospital Márcio Cunha e a Usisaúde.

No Vale do Aço temos algumas de suas unidades mais robustas. O Colégio São Francisco Xavier foi criado em 1961 e contempla a Educação Infantil, incluindo um berçário, os Ensinos Fundamental, Médio e Técnico. Além de cursos de pós-graduação em parceria com a PUC Minas e com a USP. Possui 3.000 alunos, 600 deles com bolsas de ensino integrais – incluindo uniforme e transporte. Recentemente, o Ministério da Educação autorizou o curso superior de enfermagem – sendo que alunos farão aulas práticas e estágios no Hospital Márcio Cunha.

Em 1981, a fundação criou o Centro de Odontologia Integrada (COI) que tem 82 mil vidas em sua carteira de clientes. O COI tem elevados indicadores de saúde bucal e contempla as metas da Organização Mundial de Saúde para o controle de cárie dental em crianças.

A VITA – Soluções em Saúde Ocupacional – tem sua atuação voltada para a prevenção de acidentes, a segurança no trabalho, a saúde ocupacional e o meio ambiente. Mais de 125 mil vidas estão sob sua gestão.

O Hospital Geral Márcio Cunha (HMC) presta serviços de qualidade nas áreas ambulatoriais, pronto-socorro, medicina diagnóstica, ensino e pesquisa, terapia intensiva adulta, pediátrica e neonatal, urgência e emergência dentre outros.
O Hospital é referência para mais de 800 mil habitantes de 35 municípios da região Leste de Minas Gerais, possui três unidades de atendimento, possuindo quatro unidades avançadas e uma central de entrega de resultados. Sendo que sua unidade de tratamento oncológico, pediátrico e para adultos, é referência para 88 municípios e mais de 1 milhão e 600 mil mineiros – do Leste e do Nordeste do estado.

Inaugurado em 1º de maio de 1965 com 50 leitos, de lá para cá, o Márcio Cunha amplia a assistência médica, reduz o tempo de atendimento e de permanência dos pacientes. Sendo assim, se firmou também como uma instituição de estudos e pesquisas e de inovação de protocolos assistenciais. É de se destacar o desenvolvimento ocorrido nos últimos 10 anos.

Hoje são mais de 7 mil metros quadrados de área construída, com 543 leitos, 404 médicos, 69 residentes, 50 especialidades médicas, 12 serviços de alta complexidade e 4.263 empregados diretos e indiretos. É o terceiro hospital em número de partos e de internações do Estado e um dos primeiros hospitais digitais da América Latina, obtendo várias certificações internacionais.

Outra importante unidade da FSFX é a operadora de planos de saúde Usisaúde que atua na saúde suplementar com atendimento nacional em urgências e emergências. Com mais de 20 anos de existência, e várias certificações, a Usisaúde é o maior Plano Filantrópico do País. Possui 154 mil vidas sob seus cuidados só no Vale do Aço e é a quinta maior de Minas Gerais. Em 2018, recebeu nota máxima na avaliação da Agência Nacional de Saúde Suplementar, figurando entre as quatro mais bem avaliadas operadoras do País.

Por tudo isto, é possível afirmar que a Fundação São Francisco Xavier e a sua política assistencial, de Saúde e de Educação são imprescindíveis para o Vale do Aço e para o estado. Quem sabe ou conhece as aflições de nosso povo, sabe da importância que ela tem para a região e tem clareza sobre a necessidade de sua manutenção e ampliação. É bom lembrar que esta trajetória só foi possível graças ao trabalho árduo, atencioso e acolhedor de milhares de mulheres e homens que se dedicaram à instituição nesses seus primeiros 50 anos.

Inspirados no trabalho desenvolvido pela FSFX e com a união que os tempos de hoje impõe a todos nós, vamos superar os novos desafios que temos pela frente. Nesta jornada, entre outras certezas, sabemos que poderemos contar com a direção e com os trabalhadores e trabalhadoras da fundação. Nossas homenagens passam pelo reconhecimento como também pelo respeito à sua trajetória e pelo necessário apoio que ela merece de todos nós. É com este espírito que vamos preparar as merecidas festas e comemorações.

* Celinho do Sinttrocel – Deputado Estadual
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Pedro 18 de Outubro, 2019 | 08:13
Me chamou atenção esta parte 1 bilhão de faturamento,todo aumentam a mensalidade bem acima da inflação este ano foi de 10 por cento o aumento do meu salário fou de 2,3 por cento,eu mesmo estou com dificuldade de manter o plano,estou lá desde a fudação.Eles deviam olhar mais o social e menos lucro as custas das pessoas.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO