Leilões de bens inservíveis geraram mais de R$ 500 mil

Todo procedimento funciona por meio do sistema de lances e vencem aqueles que fazem os maiores deles

A administração municipal de Ipatinga arrecadou R$ 517.922,00 em dois leilões de bens inservíveis realizados pela atual gestão. O primeiro deles gerou R$ 131.700,00 e, no segundo, os números foram ainda melhores, chegando a R$ 386.222,00. Com os mais de meio milhão de reais apurados na venda dos materiais, o governo informou que adquiriu quatro automóveis para atender a diversas demandas de serviços, 50 computadores, um caminhão-baú e outros bens permanentes de menor valor.

Os leilões foram realizados no galpão da Seção de Patrimônio, sendo que a precificação dos lotes é feita conforme avaliação da Comissão Permanente de Patrimônio. Segundo Ludson Withnei, gerente da Seção de Patrimônio e que faz parte da comissão, “são equipamentos considerados como bens móveis diversos que se tornaram inservíveis ao serviço público, seja porque estão danificados ou por outros motivos como, por exemplo, quando se tornam obsoletos ou têm custo de manutenção alto”.

É permitida a participação no leilão tanto de pessoas físicas como jurídicas, mediante apresentação de documentos requeridos no modelo anexo ao edital, publicado no Diário Oficial da prefeitura. Todo procedimento funciona por meio do sistema de lances e vencem aqueles que fazem os maiores deles.

Secom-PMI
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO