Barbas de molho

Fabrício Pereira

Divulgação


Fabrício Pereira
Lamentavelmente, o Atlético fez apenas quatro pontos nos 30 possíveis nas últimas 10 partidas, e nesse período ainda passou pelo vexame de ser eliminado por um time que nunca ganhou sequer um título, o Colón, da Argentina, na Copa Sul-americana.
E o pior é que todos os atleticanos assistem passivamente a todos esses terríveis resultados e um futebol de terceira divisão. Até sua apaixonada torcida, que respeito e admiro, está de braços cruzados.

Os atleticanos que coloquem as barbas de molho. O time está apenas oito pontos acima do Z4, e nas duas próximas rodadas certamente não irá vencer, pois enfrentará Grêmio e Santos, respectivamente, e mesmo sendo em Belo Horizonte,  acredito que, pelo péssimo futebol, a equipe irá fazer no máximo dois pontos.

Sendo assim, o risco de ficar a apenas três pontos da zona de degola é grande. E na sequência, o jogo contra o CSA, em Maceió, passará a ser uma verdadeira decisão contra a degola.
A maioria dos torcedores do Galo, e principalmente seus incompetentes diretores, estão se escondendo atrás da campanha horrível do seu rival Cruzeiro, que também está apresentando um futebol de terceira divisão.

POSTURA DIFERENTE
Na Toca da Raposa, entretanto, as forças se uniram e tomaram o comando do clube. Apesar de achar que foi tarde, a meu ver o time passa ter chance de escapar da degola, ainda que para isso tenha que montar uma verdadeira força tarefa. Nos próximos 14 jogos, o time terá que vencer seis jogos, poderá perder no máximo quatro e empatar quatro, para se livrar da degola vergonhosa que é disputar a Série B para um time dessa categoria.

Não consigo enxergar o Cruzeiro terminando atrás de Ceará e CSA, e sendo assim, estaria livre da série B, pois Chapecoense e Avaí não vão escapar. Agora, caso o CSA mantenha essa ascensão, as coisas para o Cruzeiro vão ficar muito difíceis e o clássico do dia 10 de novembro seria um confronto direto contra o rebaixamento. Penso que Botafogo, Fluminense, Vasco, Fortaleza e Goiás vão permanecer, pois vêm apresentando melhoras e estão pontuando razoavelmente bem. No caso do Goiás, nos últimos  cinco jogos foram quatro vitórias, uma arrancada incrível do esmeraldino.

É muito triste para o torcedor ver a imprensa carioca comparar o Atlético Mineiro ao Madureira, pelo que não apresentou no Maracanã na vexatória derrota para o Flamengo, e não digo vexatória pelo placar de 3x1, mas sim, pelo banho de bola e mais um que o Atlético ressuscita este ano, que foi o atacante Vitinho, que não fazia gol havia nove jogos.

Lembremo-nos de alguns outros antes: Grêmio, Santos, Cruzeiro na Copa do Brasil, Colón, o jogador Neílton, do Internacional, e por aí vai. A lista é extensa. É impressionante como um clube da grandeza do Atlético recupera tanta gente que está em baixa.

NÃO MUITO DIFERENTE
Pensei que depois de Avaí 1 x 0 Atlético eu não iria mais assistir um jogo de futebol tão ruim. Mas infelizmente, aconteceu novamente. Cruzeiro e Fluminense fizeram uma partida ridícula no Mineirão na última quarta-feira (9). Um futebol que ex-jogadores dos dois clubes, como Rivelino e Assis (in memória), Tostão e Dirceu Lopes, se vissem, sentiriam vontade de voltar a jogar futebol envergando essas duas gloriosas camisas. Isso é pra fazer quem gosta de futebol desanimar. Show de horrores.

BOLA NA ÁREA 
Na próxima segunda-feira (14), o programa Bola na Área será transmitido direto do Fred Bar e Cupim, na praça ao lado da Copasa, no Bairro Cidade Nobre. Música ao vivo com Jaider Leone. Aguardamos você. Siga-nos ao vivo: Facebook- Bola na Área e Instagram - Bolanaarea.esportes.
 
Contatos com a coluna: e-mail - fabricio.bolanarea@gmail.com. WhatsApp - (31) 98632-3341.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO