Disputa política continua agitando bastidores do cruzeiro

Questionado sobre uma eventual renúncia de Wagner Pires, Hermínio Lemos se disse preparado para assumir o clube




Após reunião na manhã desta quinta-feira, para buscar soluções para a atual crise do Cruzeiro, os vice-presidentes Hermínio Lemos e Ronaldo Granata negaram que o encontro seria para decidir sobre uma renúncia coletiva da atual administração e defenderam o cumprimento do estatuto do clube.

Questionado sobre uma eventual renúncia de Wagner Pires, Hermínio Lemos se disse preparado para assumir o clube. “Eu estou no Cruzeiro desde os cinco anos, já passei por todos os cargos eletivos dentro do clube. Na minha vida fiz cursos acadêmicos, pós-graduações. Se a vida me conduzir para um caminho assim, eu estarei preparado”, disse.
Ronaldo Granata ainda questionou a validade da reunião convocado por Zezé Perrella, presidente do conselho deliberativo, para votar o afastamento de Wagner Pires e os vices do Cruzeiro.

“Mais uma vez o presidente do conselho está passando por cima do estatuto. E ao invés de ajudar o Cruzeiro está é expondo o clube ainda mais”, disse Granata.

Ação na justiça

Líderes da oposição do Cruzeiro entraram com ação na Justiça, nesta quinta-feira, para tentar impedir a realização da Assembleia Geral, convocada pelo presidente Wagner Pires de Sá para o próximo dia 21. O órgão julgador será a 21ª Vara Cível de Belo Horizonte.

No processo, conforme divulgado pelo Superesportes, os representantes de 45 conselheiros e associados que impetraram o pedido de liminar alegam que Pires de Sá fez a convocação já ciente da Reunião Extraordinária chamada um dia antes pelo presidente do Conselho Deliberativo, Zezé Perrella. O ex-senador pretende, às 19h do dia 21 de outubro, votar o afastamento de Pires de Sá.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO