Adolescente confessa roubo em posto e troca de tiros em Coronel Fabriciano

O roubo foi registrado por volta de 21h de quarta-feira (9), em um posto localizado na avenida Presidente Tancredo de Almeida Neves, Parque Industrial Novo Reino

Atualizada às 17:07
A entrevista de um adolescente de 16 anos, apreendido essa semana como autor confesso de um roubo à mão armada em um posto de combustíveis em Coronel Fabriciano, é assustadora. O jovem em conflito com a lei, que praticou o roubo com a ajuda de outro menor de idade, afirmou que não hesita em morrer nem em matar. Ao fim, disse acreditar em Deus, para sair logo de volta à rua.

O roubo foi registrado por volta de 21h de quarta-feira (9), em um posto localizado na avenida Presidente Tancredo de Almeida Neves, Parque Industrial Novo Reino.

O frentista R.J.C., de 32 anos, atua como frentista no posto de combustíveis e informou que foi abordado por um assaltante de cor clara, com touca preta cobrindo o rosto. O assaltante apontou uma arma e ameaçou atirar, caso não lhe entregasse o dinheiro. Pegou R$ 150 em dinheiro do caixa e fugiu. Deixou cair um boné e juntou-se a um comparsa que o aguardava nas proximidades. No dia do roubo, um homem saiu no encalço dos ladrões e houve uma troca de tiros. Os levantamentos dos policiais militares levaram a dois suspeitos, menores de idade, que foram apreendidos na quinta-feira.

Na delegacia de Polícia Civil, os adolescentes confessaram o envolvimento com o crime. Um deles, de 16 anos, em entrevista ao repórter J. Passos, da Rádio Vanguarda, tratou o caso com ironia e lamentou a perda de um revólver calibre 38, também apreendido no dia em que foram detidos por policiais militares. “Estávamos no meio do mato, quando os homens nos pegaram. Um pilantra veio atrás de nós depois do roubo e deu tiro em nós, mas não vai ficar assim não, vamos sair e vamos acertar as contas com ele”, ameaçou.

Segundo o adolescente, um homem em um carro os perseguiu e efetuou os tiros. Depois eles revidaram e também deram tiros. “Acertei o retrovisor e o vidro traseiro do carro. Sentou o dedo em nós e nós também sentamos o dedo nele”, disse rindo.

Alertado que alguém poderia ter morrido nessa troca de tiros e o roubo evoluir para um homicídio, o adolescente retrucou: “Podia ter morrido um de nós mas também ele poderia ter morrido. Aí era toddy, só ia ver defunto. Mas viemos parar aqui na delegacia e agora é Deus que está na frente. Vamos ver se vamos sair”, concluiu.
O caso dos adolescentes foi repassado ao Ministério Público, para deliberar acerca de um pedido de internação dos dois menores de idade.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Cidadão Indignado 14 de Outubro, 2019 | 11:09
Se uma suposta "criança" de 16 anos pode matar e roubar por quê não pode ser responsabilizada por seus delitos e ser punida?
Bolsonaro 11 de Outubro, 2019 | 00:14
Vai ver esse amador deve ser da mesma área do posto, Todas as favelas do Rio e SP BH e etc tem um comércio alguns até com caixa eletrônico, duvído um amador desee naipe assaltar.
Os caras degolam ele pra servir de exemplo...
O cerol passa fininho

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO