Patrimônio histórico vira cinzas em Diamantina

A capela Santa Rita de Cássia, data do século XVIII e restaurada em 2017

Reprodução Twitter


A capela Santa Rita de Cássia, data do século XVIII e restaurada em 2017
Atualizada às 10:57
A capela de Santa Rita de Cássia foi destruída por um incêndio na tarde de sexta-feira (4). Em vídeos que circulam nas mídias sociais, moradores da região choram ao ver a cena. A capela Santa Rita de Cássia data do século XVIII e foi restaurada em 2017.

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais (CBMMG) informou que, por volta de 15h40, os militares de Diamantina foram acionados para combater o fogo. Uma equipe da corporação, com o uso de um caminhão pipa da Copasa, combateu as chamas.

O incêndio consumiu toda a capela, ficando as paredes em ruínas, mas sem desmoronar. O local foi interditado, uma vez que a qualquer momento poderá desabar o restante da estrutura. Ninguém se feriu.

O chefe do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) de Diamantina, Junno da Mata, informou que será feita uma investigação acerca das causas do incêndio. "O tombamento da igrejinha é municipal e não está sob nossa jurisdição, mas lógico que nos prontificamos, dentro do possível, para colaborar, até mesmo em averiguar o que possa ter causado o incêndio", afirmou.

Em nota, o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha) informou que prestará o apoio que for necessário para a recuperação da igreja. "O Iepha-MG solidariza-se com a prefeitura de Diamantina, a Arquidiocese de Diamantina e com a comunidade local, pelo incêndio ocorrido. Manifestamos ainda nosso apoio técnico às ações necessárias para a recuperação desse valioso bem cultural", conclui a nota.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

MAIS FOTOS

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO