Atlético e Cruzeiro investem no mundo virtual e entram no mundo dos eSports

Os jogos eletrônicos já deixaram de ser apenas diversão e, nos últimos anos, se transformaram em um mercado milionário. O futebol mineiro não ficou fora dessa oportunidade e, tanto o Cruzeiro como o Atlético, apostam alto em parcerias com empresas deste ramo. Enquanto a Raposa criou elencos para disputar competições oficiais de eSports, o Galo fechou uma parceria exclusiva com uma das maiores produtoras de jogos do Japão. O mercado online está cada vez mais presente no Brasil.

Tendência: Agge, com a camisa do Hashtag United, na FIFA eWorld Cup 2018 ? Foto: Divulgação / Fifa

No fim de agosto deste ano, a diretoria do Cruzeiro anunciou um forte investimento para os jogos FIFA e Pro Evolution Soccer. As duas franquias rivais dominam o cenário do futebol virtual e, juntas, já venderam mais de 300 milhões de jogos. A ideia da Raposa é ter atletas para disputar torneios do FIFA 20 e também do eFootball PES 2020. Algumas dessas competições pagam mais de R$ 2 milhões em prêmios.

Já o Atlético Mineiro preferiu apostar em uma negociação mais direta com os produtores desses jogos. A empresa Konami, responsável por diversos jogos eletrônicos e produtora do PES, fechou um acordo de exclusividade com o Galo. Além de poder contar com os dados do time virtualmente, os japoneses também vão estampar a própria marca na camisa como um patrocinador oficial. Ou seja, um acordo quase que completo.



Assim, o futebol mineiro mostra que está atento ao cenário virtual e online. O crescimento das competições desse tipo de entretenimento, também conhecidas como eSports, é algo real e que gera lucros milionários. O jogo FIFA, por exemplo, já possui uma calendarização de todas as disputas da temporada e é bem organizado. Um nível de profissionalismo semelhante com alguns dos maiores torneios de futebol no Brasil e no mundo.

Outros jogos online

O mercado virtual não vive apenas de FIFA e PES, já que outros jogos que envolvem o futebol nacional também estão surgindo no Brasil. A Betfair é um exemplo deste crescimento por aqui. Ela criou uma plataforma onde é possível apostar, em um estilo bem compra e venda de ações, nos jogos do Campeonato Brasileiro e permite que o torcedor aposte com as melhores cotações em futebol. É um estilo diferente que tenta cativar o público daqui.

A própria Globo também já faz sucesso dentro da internet com o Cartola FC, que funciona quase como um complemento da transmissão oficial dos jogos da Série A. Nele, o usuário monta o próprio time e acompanha o desempenho dos jogadores para somar mais pontos. São quase 10 milhões de usuários cadastrados no sistema e um lucro que já ultrapassa a barreira dos R$ 7 milhões anualmente para a emissora.



Os jogos eletrônicos já fazem parte do cotidiano das pessoas, sendo uma das indústrias mais ricas do mundo. Por isso, o futebol brasileiro e mineiro não podem ficar fora desse movimento. O Atlético e o Cruzeiro já estão fazendo a parte deles, mesmo que de forma tímida. Outros clubes, como o Flamengo e o Santos, já estão neste movimento e também investem pesado em equipes ou patrocínios envolvendo os eSports.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO