Conta de água dobra de um mês para outro e consumidores reclamam

No cruzamento de dados dos hidrômetros internos dos apartamentos, para uso pela administração do condomínio, nenhuma unidade apresentou consumo acima da média individual

Reprodução


Moradores questionam medição da Copasa; histórico de consumo de prédio saltou da média de 140 mil litros para 198 mil

Alguns consumidores residenciais da Copasa levaram um susto com a conta de água referente ao consumo entre os meses de agosto e setembro. Em alguns casos o valor quase dobrou. Faltam explicações claras a respeito das contas. Essa semana chegaram à redação do Diário do Aço três casos parecidos. Em primeiro de agosto entrou em vigor um reajuste de 8,38%, mas conforme os consumidores, na prática a conta veio com um valor bem acima. No caso de um condomínio residencial no bairro Parque das Águas, em Ipatinga, a conta saltou de R$ 1.095,42 para R$ 2.114,72, uma diferença de 93%.

No cruzamento de dados dos hidrômetros internos dos apartamentos, para uso pela administração do condomínio, nenhuma unidade apresentou consumo acima da média individual. Mas na conta da Copasa, de uma média histórica de 145.000 litros faturados, a conta do condomínio apresenta na fatura atual a cobrança de 198.000 litros. "Se não há vazamentos no prédio e nenhuma unidade apresentou consumo acima da sua média individual, registrada nos hidrômetros dos apartamentos, de onde a Copasa tirou esse consumo?", indaga um dos moradores.

Os outros dois casos trazidos por leitores à redação têm a mesma história. Sem anormalidade no consumo, mas a conta veio em dobro. Procurada pela reportagem do Diário do Aço, a Copasa informou que não vai se pronunciar sobre casos específicos e encaminhou a seguinte nota: “A Copasa informa que o esclarecimento de dúvidas pontuais sobre a conta de água deve ser realizado diretamente na agência de atendimento localizada à rua Tiradentes, 96, bairro Cidade Nobre, em Ipatinga. Nesse caso específico, o síndico poderá verificar a demanda mediante apresentação de documento que comprove sua função no condomínio, além da leitura atual”.

Um representante da administradora de um dos condomínios esteve no escritório e saiu de lá sem uma explicação considerada conclusiva. Primeiro, a empresa solicitou que fosse realizado um teste padrão para verificar vazamentos. Esse teste foi executado e o resultado foi negativo.

Por fim, a empresa orientou que se faça um monitoramento do hidrômetro principal, por sete dias, para verificar se há anormalidade na medição e se haverá necessidade de aferir o medidor.

Reprodução


Moradores levaram um susto com a conta de setembro, com o valor em dobro em relação ao mês anterior
Cobrança pela média
A reportagem do Diário do Aço obteve, entretanto, outra versão. Nos meses anteriores a companhia estava sem funcionários em quantidade suficiente para fazer leituras presenciais dos hidrômetros. Dessa forma, faturas foram emitidas para vários consumidores com base na média. Essa informação consta, inclusive, em contas às quais a reportagem teve acesso.

Entretanto, ao retomar a leitura presencial na primeira semana de setembro, a ligação que apresentou consumo acima da média teve cobrado, ao mesmo tempo, o consumo real do mês de agosto mais a diferença do que ficou acima da média dos meses anteriores, o que gerou faturas com valores que chegam a ser o dobro do que vinha sendo cobrado.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Carlos 17 de Setembro, 2019 | 11:11
Senhores vereadores
Sai da cadeira e vai fiscalizar a Copasa !!
Revoltado 16 de Setembro, 2019 | 21:50
Essa copasa e uma vergonha roubam na cara dura e nao. Ha uma pessoa pra olhar por nos cade os vereadores e tal prefeito que so faz rotatoria e implatam esse tal de faixa azul para roubar mais.
Okiveira 16 de Setembro, 2019 | 18:21
É cada uma!!! O bloqueador de ar não funciona.
Leiam a conta. O valor da conta é escalonado. . Deixem de ser analfabetos funcionais. O Brasileiro adora e reclamar e não lê o que deve e quando lê, não entende.
SANTA IGNORÂNCIA!!!
Júnior 16 de Setembro, 2019 | 11:25
Acorda meu povo!!!!
A Copasa está utilizando estratégias para faturar mais com injeção de ar nas famosas manutenções sem aviso prévio e com cálculo de médias nos meses que não fazem leitura. A faixa de preço de 10 a 15 é mais que o dobro da faixa de 5 a 10. Jogam seu consumo nas alturas para pegar as faixas de alto custo. Os vereadores e prefeito não fazem nada. Será por que? Por isso que a nossa conta dobra de valor.
Ailson 16 de Setembro, 2019 | 10:17
Só não entendo uma coisa......temos 13000.000 de desempregados no país e a sra COPASA, me vem com essa de falta de funcionários ??????? BALELA, PAPO FURADO E MÁ GESTÃO.
Raquel 15 de Setembro, 2019 | 23:27
Minha conta vem 55,00 , 60,00. Esse mês veio 106,00. Absurdo
Juliana 15 de Setembro, 2019 | 22:11
Aqui em casa aconteceu a mesma coisa, perguntei o leitorista e ele me disse q nao teve leitorista no mes passado, ai eles colocao portao fechado!absurdo
Oliveira 15 de Setembro, 2019 | 21:42
Engraçado, as pessoas reclamam, mas não acompanham o consumo diário em suas residências. É só fazer o teste: basta fechar a entrada da caixa d'água, travando a bóia e anotar a leitura do hidrômetro. Deixe um dia fechado. Se houver consumo, verifique se há vazamento, desde o hidrômetro até a bóia localizada na entrada da caixa d'água. Na conta da Copasa, há a média de consumo, inclusive com a média diária. Quando é feito o consumo pela média, no mês seguinte ao fazer a leitura, será feita a correção. PS: a Copasa realmente tem feito a leitura por média por falta de funcionários.Informação repassada por funcionário da própria empresa.
Giovane Junior 15 de Setembro, 2019 | 16:00
Eu reclamo isso a mais de um ano. Já pedi a troca do hidrômetro e não houve alteração e a Copasa disse que o teste no hidrômetro antigo não havia defeito. Éramos 5 pessoas que moravam na minha casa,e há 2 meses, são 4 pessoas que moram nainha casa. O interessante que con un consumidor a menos nosso consumo, não sei como mas aumentou. Mesmo eu colocando redutor de ar. Nestes últimos dois meses. Como explicar um morador a menos e um redutor de ar pode aumentar o consumo??
Maurício 15 de Setembro, 2019 | 15:21
Com minha mãe tb foi a mesma coisa e a Copasa insistiu em dizer que houve o consumo. Está frequente essa reclamação no Vale do Aço. Num mês que a casa ficou com apenas uma pessoa, sem vazamentos, foi obrigada a pagar...
Rodrigo Lacerda 15 de Setembro, 2019 | 14:49
Aqui em casa também dobrou. Muito esquisito!
Amadeu 15 de Setembro, 2019 | 10:59
Bom dia, Já fui na Copasa fazer reclamações e sempre a empresa fala a mesma coisa...sempre ela que tenha razão......A agua da Copasa é um sijeira e muito cara.
Júlio 15 de Setembro, 2019 | 07:29
É exatamente isso que tem ocorrido em minha residência com frequência, a Copasa vem fazendo cobrança pela média, sem fazer a leitura e posteriormente no mês que é feito a leitura o consumo fica muito elevado porque o consumo dos meses anteriores que foram acima da média vem juntamente com o consumo do mês que ocorreu a leitura. O problema é que o valor do metro cúbico de água é proporcional ao consumo, quanto maior o consumo mais caro fica, fazendo com que a conta no mês em que efetivamente foi feita a leitura venha com valores muito altos.
Krisna 14 de Setembro, 2019 | 23:07
Sou da região de Timóteo e em minha residência ocorreu da mesma forma. As mesmas orientações foram me passadas pela Copasa não teve qualquer que seja explicações. O valor sempre foi de 69.00 (sessenta e nove reais) mês de agosto veio 200.0 ( duzentos reais). Realizamos todos os testes não há vazamentos e não temos explicações do valor.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO