Autismo é tema de roda de conversa com psicólogos e pais de alunos

Após o bate-papo, foi oferecido aos presentes um café da tarde

Secom-PMI


Roda de conversa realizada pela Secretaria de Educação de Ipatinga envolveu familiares de alunos com Transtorno do Espectro Autista

Na tarde desta terça-feira (10), foi realizada, no Espaço Qualifica, em Ipatinga, uma roda de conversa envolvendo psicólogos da Secretaria Municipal de Educação e pais de alguns alunos da rede, que têm autismo.

O encontro, que foi dividido em duas turmas de diferentes horários, teve como objetivo acompanhar e escutar os pais dos alunos da rede municipal que lidam diretamente com o Transtorno do Espectro Autista. Após o bate-papo, foi oferecido aos presentes um café da tarde.

“Começamos há pouco um trabalho diferenciado, fazendo também um acompanhamento com os pais, uma vez que os alunos já vêm recebendo algumas orientações psicológicas nas escolas. Essa abordagem que estamos realizando está acontecendo de uma forma geral, com todos os alunos. Porém, fizemos um levantamento e vimos que existe um grande número de alunos com Transtorno do Autismo na rede municipal. Então demos início a essa roda de conversas para ouvir os familiares, conhecer as angústias, dificuldades e as superações de cada um. Daqui para frente faremos esse acompanhamento de ouvir os pais para subsidiar um trabalho que visa o desenvolvimento destas crianças”, explicou a psicóloga da rede municipal de educação, Lúcia Gonçalves Vilela.

Recém-contratados para compor o quadro de funcionários da Secretaria de Educação, quatro novos psicólogos atuam juntamente com outros dois profissionais que já fazem parte do quadro de servidores, auxiliando alunos, professores e pais nas 45 escolas municipais da rede.

Excepcionalidades
A secretária municipal de Educação, Eva Sônia Rodrigues, reforça que a chegada desses profissionais na rede, viabilizando esses encontros com os pais de alunos especiais, é de extrema importância para o bom desenvolvimento do aluno na sala de aula. “Quando se faz um trabalho diferenciado de apoio à família destes alunos especiais – ela diz –, isso reflete diretamente no desempenho dos nossos alunos na sala de aula.

Existem determinadas situações que fogem da alçada do professor e dos profissionais da educação. Por isso a importância da atuação do psicólogo, para intervir e auxiliar os educadores e os pais. Sentimos a necessidade de dar atenção especial aos pais dos alunos com TEA, e assim nasceu a ideia desta roda de conversa. A nossa intenção é ampliar ainda mais esse atendimento”, conclui.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO