Rogério Ceni promete fazer mudanças drásticas no Cruzeiro

Apesar do pouco tempo no clube, Ceni não tirou sua parcela de responsabilidade

Vinnicius Silva


Treinador deu a entender que sua permanência no clube depende de uma mudança de atitude da equipe

Após a goleada sofrida contra o Grêmio no último domingo, o técnico do Cruzeiro, Rogério Ceni, deu uma entrevista coletiva contundente no Independência. Ele se mostrou envergonhado com a postura da equipe, fez cobranças, disse que fará mudanças drásticas e deixou subentendido que não permanecerá no clube se tais alterações não forem realizadas.

“A única coisa que eu digo é que, se for para continuar no Cruzeiro, tem que ser de maneira diferente. Se a gente precisar mudar drasticamente a situação, mesmo que a gente apanhe nos próximos jogos, mas a atitude temos que mudar, caso contrário, não faz sentido nem eu ficar aqui, muito menos comparecer após jogo para dar entrevista”, desabafou o treinador.

Apesar do pouco tempo no clube, Ceni não tirou sua parcela de responsabilidade. “Também faço parte de tudo isso. Mas já são três semanas de trabalho. Até me sinto envergonhado de vir aqui, para ser sincero. Eu preferia não dar entrevista. Vim por educação, cumprir o meu papel. Eu já perdi na minha vida muitos jogos, mas existem maneiras e maneiras de ser derrotado. A situação já é muito delicada. Eu lamento ter de vir falar, pela situação, com derrota no meio de semana e hoje também”.

As tais mudanças imaginadas pelo treinador passam pela forma da equipe jogar e até da saída de alguns jogadores do time titular. “Não é tirar, afastar. Temos que fazer comportamentalmente, talvez fazer para alguns atletas uma intertemporada, parar por uma semana, sem jogo”, explicou Ceni.

Ele foi incisivo nas cobranças, mas também preocupado com a repercussão que certas palavras podem causar. Evitou citar culpados. Mas deixou claro que o objetivo do Cruzeiro é escapar do risco de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. "Qualquer resposta que eu dê pode gerar mais problemas para o clube. Temos que nos preocupar com o Cruzeiro neste momento. Já temos problemas suficientes. O importante é parar de sonhar com coisa de Libertadores, ser campeão. Temos que enfrentar a realidade", pontuou o treinador. “Temos que nos preocupar em tirar o Cruzeiro de uma situação de rebaixamento para começar um ano de 2020 de maneira melhor. Não adianta criticar um ou outro jogador publicamente, não adianta dar declarações que você pode se arrepender, assim como, quando a gente está alegre, não deve prometer muita coisa”, finalizou.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO