Jovem preso ao assaltar mulher em Coronel Fabriciano

Vítima atacada no Melo Viana foi coagida pelo suspeito para não confirmar que ele era o assaltante


Google


Um jovem de 21 anos foi localizado e preso no bairro São Domingos, em Coronel Fabriciano, por assaltar uma mulher de 48 anos. O assalto foi praticado na avenida Geraldo Inácio, no Melo Viana, em Coronel Fabriciano, no início da tarde de terça-feira (3). Ele ainda é suspeito de outro assalto praticado contra outra pedestre na segunda-feira.

A vítima relatou que caminhava pela avenida Geraldo Inácio, por volta das 13h, em companhia de outra mulher. O assaltante anunciou o roubo exigindo que as vítimas entregassem seus objetos. Uma conseguiu escapar se refugiando em uma drogaria nas proximidades, sorte que não teve a vítima de 48 anos.

Ela foi ameaçada com uma arma de fogo, possivelmente uma pistola, e entregou um telefone celular. O assaltante fugiu em uma bicicleta sentido à rua João Caetano e desapareceu. Com as informações da vítima e testemunhas, os policiais militares conseguiram identificar um suspeito.

Os PMs foram até a casa dele, mas o jovem não se encontrava. Em rastreamento, M.H.S., de 21 anos, acabou localizado no bairro São Domingos e informou que não era o autor do crime, inclusive esteve na casa da vítima onde já acertou com a mulher.

Esta situação estranha levou os policiais até a residência, contudo a história era parcialmente verdadeira. M.H. esteve realmente no local, mas o objetivo era intimidar e coagir a mulher a não confirmar ser ele o autor do assalto. Os PMs apuraram que o suspeito ainda seria o autor de outro assalto ocorrido na segunda-feira.

M.H., que possui diversas passagens por crimes contra o patrimônio, tráfico de drogas, porte de arma de fogo e outros crimes. O celular roubado e nem a arma de fogo foram encontrados pelos policiais militares. O suspeito foi encaminhado para a delegacia de Polícia Civil.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Maria das Graças 05 de Setembro, 2019 | 10:06
Passei minha infância e estudei nessa cidade até a quarta série antes d vir morar no Rio de Janeiro.O único medo q tínhamos era dos bois e cachorros loucos q passavam nas ruas. Isso no final dos anos 60s e começo d 70s. Agora está igual ao Rio q meu pai tanto temia já naquela época. Uau!

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO