Usiminas irá instalar rede de monitoramento do ''pó preto''

Procurada pelo Diário do Aço, a Usiminas esclareceu que segue todas as normas previstas na Legislação Ambiental e que já havia acordado com o MP e FEAM, no dia 1º de agosto

Divulgação


Empresa informou que dentre as iniciativas está a instalação de rede de monitoramento de partículas sedimentáveis

Ações para reduzir o “pó preto”, comumente visto em Ipatinga, serão tomadas pela Usiminas. Em acordo firmado com o Ministério Público e Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEAM), a empresa informou que irá implantar novas ações para quantificar e qualificar o material sedimentável e definir ações de mitigação. Dentre as iniciativas, está a instalação de rede de monitoramento de partículas sedimentáveis, cujos detalhes técnicos e operacionais já estão em discussão com as autoridades.

Procurada pelo Diário do Aço, a Usiminas esclareceu que segue todas as normas previstas na Legislação Ambiental e que já havia acordado com o MP e FEAM, no dia 1º de agosto. “Como medida adicional, a Usiminas iniciará teste-piloto com canhões de névoa, objetivando conter material em suspensão antes que ocorra a dispersão para fora dos limites da empresa. A companhia informa, ainda, que o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) proposto pelo MP destina-se exclusivamente à forma de adoção das medidas de monitoramento, ainda em análise pela empresa, e não se configura descumprimento de normas da legislação”, destacou a empresa por meio de nota.

Reunião definiu
Na sexta-feira (23), o Ministério Público apresentou, durante reunião com representante do jurídico da Usiminas, a proposta de um TAC, com cláusulas prevendo medidas para a diminuição da emissão de partículas sedimentáveis, o chamado pó preto, pela empresa. Caso assine o documento, a Usiminas deverá comprovar a redução nos indicadores do poluente no município. 

O promotor de Justiça Francisco Ângelo, que colabora junto à promotoria de Meio Ambiente no caso, explicou que, atualmente, já existe uma rede de monitoramento com estações e placares, mas não tem relação com o pó preto. “Mas sim poluentes finos e a gases, que são monitorados por uma empresa e a Usiminas custeia. A FEAM faz a visualização das estações, no que diz respeito à qualidade do ar. As partículas grossas, e aí temos o pó preto, que chamamos de precipitável, porque não fica em suspensão no ar. A partícula preta cai e você vê no chão”, detalhou.

O MP informou que, na reunião de sexta-feira, independentemente da aceitação do TAC, a Usiminas já se comprometeu a implementar a rede de monitoramento específica. O MP informou, porém, haver uma pendência quanto à definição do método a ser utilizado. A Usiminas comprometeu-se a apresentar previsão de instalação da rede de monitoramento para partículas sedimentáveis em até 20 dias.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Angel 07 de Novembro, 2019 | 14:12
Um desrespeito c/ a população Ipatinguense e funcionários da Usiminas. No bairro das Águas pode-se varrer de manhã 8h e ao meio dia 12h irá coletar mais pás de pós pretos como se não tivesse limpado nada. As calhas dos telhados têm que ser limpas de mês em mês senão acumula muito pó, empena e entorta as calhas tal o peso. A Usiminas só dá resposta-padrão de que respeita a lei igualzinho ao irresponsáveis da Vale - Brumadinho e BHP Samarco - Mariana. Dão respostas-padrão MAS SEGUEM MATANDO ASSIM MESMO!!! Poder Público completamente OMISSO! Nem deveria existir esses órgãos fakes que fingem fiscalização só p/ torrar dinheiro público.
Angel 07 de Novembro, 2019 | 11:54
Um desrespeito c/ a população Ipatinguense e funcionários da Usiminas. No bairro das Águas pode-se varrer de manhã 8h e ao meio dia 12h irá coletar mais pás de pós pretos como se não tivesse limpado nada. As calhas dos telhados têm que ser limpas de mês em mês senão acumula muito pó, empena e entorta as calhas tal o peso. A Usiminas só dá resposta-padrão de que respeita a lei igualzinho ao irresponsáveis da Vale - Brumadinho e BHP Samarco - Mariana. Dão respostas-padrão MAS SEGUEM MATANDO ASSIM MESMO!!! Poder Público completamente OMISSO! Nem deveria existir esses órgãos fakes que fingem fiscalização só p/ torrar dinheiro público.
Kelly Dias 27 de Agosto, 2019 | 14:47
aqui no cariru cai muito pó preto. isso é pó de carvão mineral. com esse tempo seco, o vento espalha esse pó sobre os bairro no entorno. vila ipanema castelo, cariru, hospital, bairro das águas, bela vista, etc
Joao Fagner 27 de Agosto, 2019 | 08:43
Multa e prisão para a presidência se não implantarem tecnologías para eliminar este pó preto prejudicial a saúde.,caso contrário vão enrolar e resolver nada.
Jose Soares Couto 27 de Agosto, 2019 | 07:21
Sinceramente, a sociedade e o povo Ipatinguense merecem respeito. A Usiminas tem de apresentar um plano efetivo para contenção desse maldito pó preto. Depois vem a Usiminas se dizendo empresa cidadã e oferecendo cadernos às escolas carentes,e divulgando fotos. Hipocrisia tem limites.....
Falo Nada 26 de Agosto, 2019 | 14:55
Balela da Usiminas, façam o monitoramento no bairro Vila Ipanema que entenderão que não existi e nem vai existir nenhum tipo de controle; resido desde 1976 e sempre foi esta poluição. Não esquecendo dos outros bairros: Cariru, Bela Vista, Das águas,Contingente,Centro,Novo Cruzeiro, Iguaçu,Bom Retiro.....
Rodrigo Alves Lacerda 26 de Agosto, 2019 | 08:42
Mas qual é o efeito prático deste monitoramento? Quais medidas práticas para a redução do pó preto?
Wilson Anselmo Filho 25 de Agosto, 2019 | 22:13
Porque não fazem monitoramento no bairro Bela Vista? Aqui na minha residencia chove pó arenoso partículas grossas, debaixo do telhado em cima da laje da para coletar carrinhos de pó eu gostaria que fizessem uma medição.
Jp 25 de Agosto, 2019 | 19:52
São toneladas de pó lançados na atmosfera num raio de kilômetros. É uma empresa desleixada com o meio ambiente. Há dúvidas dos órgãos de fiscalização.
Pedrin Perito 25 de Agosto, 2019 | 13:03
Pode tá chuvendo horrores que o Painel avisava que o tempo tava bom..bom em tudo, umidade, chuva, sol..etc..
Uma verdadeira marmelada esses paineis....
Pedrin Perito 25 de Agosto, 2019 | 13:00
Depois de quantos anos? 50? Quantas mortes por doenças respiratórias na cidade? Quanta contaminaçao ambiental?
Já era tempo !
José Soares Couto 25 de Agosto, 2019 | 10:13
Uma pergunta: De que valeu o a ordo firmado com o M. P. anos atrás quando instalaram aqueles painéis que "informam" a qualidade do ar na cidade?

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO