Regulamentação do uso da bicicleta motorizada vira pauta em Ipatinga

A assessoria técnica da Câmara avaliou que é de responsabilidade exclusiva do executivo a regulamentação das bicicletas

Divulgação


Vereador Adiel Oliveira propôs regulamentações para o uso do veículo

As bicicletas motorizadas viraram febre na cidade. O meio de transporte econômico e de baixo custo tem facilitado a vida de muitas pessoas. Porém, muitos ainda não usam o meio de transporte de forma consciente e colocam em risco a vida deles e de terceiros. É nesse sentido que o vereador Adiel Oliveira (PV) protocolou um projeto de lei que visa regulamentar o uso da bicicleta motorizada no município. O projeto chegou a tramitar até a comissão de transportes, onde foi retirado de pauta por vício de inciativa. A assessoria técnica da Câmara avaliou que é de responsabilidade exclusiva do executivo a regulamentação das bicicletas.

O vereador propunha que os usuários deveriam usar capacetes, trafegar na direção de trânsito, que as bicicletas tivessem faróis dianteiros e traseiros, além de outras regulamentações para dar mais segurança aos pedestres e ciclistas. “Após algumas reuniões com amigos que frequentam grupos de ciclismos, eles levantaram essa necessidade em nosso município. Apesar de parecerem inofensivas, as bicicletas adaptadas ganham peso e velocidade, o que em um impacto contra pessoas, veículos ou outras bicicletas pode ser fatal. Então o município precisa regulamentar o uso desse meio de transporte visando a segurança dos mesmo”, disse o vereador. Na oportunidade, Adiel também falou que irá já propor para o executivo que inclua as patinetes elétricas nesse pacote já é uma discussão que está acontecendo nas capitais e em breve estará aqui.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Geraldo Maia da Silva 23 de Agosto, 2019 | 08:46
Iniciativa brilhante e atualissima em face das novas modalidades de transporte proposta pelo cidadão do século XXI. Haverão de ser positivada a responsabilidade no que tange aos modos e formas de concessão, pois sem a devida regulamentacão , o usuário é responsável por danos em caso de acidente no trânsito e caso o poder público regulamente o uso dos patinetes e bicicletas motorizadas se tornará cooresponsavel podendo ser obrigado a reparar danos materiais e até morais. Para tanto que sejam os usuários obrigados a participarem de cursos preparatórios e até a contratação de um seguro a exemplo do que ocorre com os veículos automotores. Sem a devida regulamentação as vítimas de um acidente ficarão prejudicados eternamente.
Adão 22 de Agosto, 2019 | 23:08
Já existe regulamentação para utilização de bicicletas elétricas e ciclomotores. O que falta é a aplicação da lei.
Daqui a pouco vão inventar mais alguma lei estúpida que irá prejudicar o cidadão de bem (como sempre).
Pedrin Perito 22 de Agosto, 2019 | 09:46
Otima iniciativa vereador, pensei nisso esses dias quando deparei com dois menores fazendo " pega" no cidade nobre.Sem qualquer responsabilidade.Vou além, sugiro que o uso da bike motorizada seja feito por maiores de 18 anos.Questão de saúde pública dos menores que deixam de praticar atividadea fisicas e estao expostos a produtos quimicos como gasolina e oleo 2 Tempos usados no motor dessas quase motos.
Poderiam avançar também em relação aos patinetes eletricos que estão se propagando país inteiro !

Parabéns Adiel pela iniciativa.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO